Moreira convoca núcleo duro para discutir reacção às declarações de Ana Catarina Mendes

O autarca independente do Porto não aceita pressões por parte dos partidos e quer avaliar o apoio dos socialistas à sua candidatura. O encontro está marcado para a noite desta quinta-feira.

Foto
Rui Moreira recandidata-se a um segundo mandato à Câmara do Porto Manuel Roberto

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, convocou o núcleo duro da sua candidatura para uma reunião nesta quinta-feira à noite, para avaliar o apoio do PS e sobretudo as recentes declarações da secretária-geral adjunta do PS, Ana Catrina Mendes.

A entrevista dada por esta dirigente ao Observador, na quarta-feira, caiu mal junto do presidente da Câmara do Porto, nomeadamente o facto de ter afirmado ao que “uma vitória de Rui Moreira no Porto será uma vitória do PS” e de ter “reassumido” que as listas para os órgãos autárquicos da candidatura independente O Nosso Partido é o Porto terão “uma representação forte” do PS, após negociação. Esta mesma ideia já havido causado polémica há cerca de três semanas, quando Ana Catarina Mendes, também a defendeu noutra entrevista, então ao Expresso. Na altura, o gabinete de Rui Moreira reagiu, avisando que não haveria jobs for the boys nem para o PS nem para qualquer outro partido que apoiasse a candiatura independente.

O encontro desta quinta-feira decorre à porta fechada e nele estarão presentes o presidente da Assembleia Municipal do Porto, Miguel Leite Pereira; o director municipal dos serviços da presidência; o assessor do presidente, Nuno Santos; e o vereador da Inovação e do Ambiente, Filipe Araújo; entre outras personalidades ligadas ao movimento O Nosso Partido é o Porto.

Todavia, nesta quinta-feira, numa entrevista à Lusa, que será divulgada na íntegra na sexta-feira, a dirigente nacional do PS recuou nas suas declarações e disse que a decisão dos socialistas portuenses de apoiar a recandidatura autárquica do independente Rui Moreira "é irreversível", não dependendo de qualquer negociação, procurando desta forma colocar um ponto final na polémica.

Ana Catarina Mendes procurou também esclarecer a questão sobre o modo como o PS tenciona contabilizar os votos da lista independente de Rui Moreira no Porto. Admitiu que as suas palavras, na entrevista desta quarta-feira ao Observador, possam ter sido mal interpretadas, salientando agora que, "evidentemente", que uma vitória da lista de Rui Moreira será sempre um triunfo do actual presidente da Câmara Municipal do Porto, mas que será também festejado pelos militantes socialistas portuenses.

"Na noite eleitoral festejaremos as vitórias do PS. Evidentemente que a vitória no Porto do dr. Rui Moreira será a vitória do dr. Rui Moreira, mas não deixaremos de a festejar, uma vez que apoiamos a sua recandidatura", justificou a secretária-geral adjunta dos socialistas.

Pizarro diz que Moreira é que decide

Também Manuel Pizarro, vereador e líder da distrital do PS-Porto, declara que o “apoio do PS a Rui Moreira é um apoio convicto” e diz que as declarações de Ana Catarina Mendes ao Observador “foram apenas um equívoco”. “Eu admito que as declarações permitem esse equívoco, que já foi corrigido pela secretária-geral adjunta do PS, na entrevista à Lusa”, afirmou Manuel Pizarro.

O líder da maior federação do PS faz uma avaliação positiva da liderança do independente Rui Moreira à frente da Câmara do Porto que, na sua opinião, justifica o apoio do seu partido à sua recandidatura. “Rui Moreira foi capaz de dar uma nova ambição à cidade e de concretizar as principais prioridades do seu programa eleitoral, que coincidiam, aliás, com as nossas”, diz o autarca socialista.

Em declarações ao PÚBLICO, Manuel Pizarro tratou de desvalorizar a posição assumida por Ana Catarina Mendes, reafirmando que o apoio ao autarca independente acontece, porque o PS coloca “o interesse dos portuenses à frente de qualquer visão estreita do interesse partidário”. “Reconhecemos a absoluta independência do dr. Rui Moreira com a qual convivemos muito bem os últimos quatro anos e estamos convencidos de que podemos continuar a conviver”, acrescentou.

“Neste apoio do PS ao dr. Rui Moreira não há nenhuma negociação de lugares nas listas”, garante, afirmando que “é natural que haja pessoas do PS nas listas de Rui Moreira, como haverá muitas pessoas independentes e muitas pessoas de outros partidos”. Quanto à composição das futuras listas é taxativo: “Pertence apenas ao dr. Rui Moeira e não há nenhuma negociação de lugares”.