Agustina vai ser editada pela Relógio D’Água

Autora de A Ronda da Noite rompeu em Novembro o contrato com a Guimarães Editores, que durava há mais de seis décadas.

Foto
Agustina Bessa-Luís Paulo Ricca

A obra completa de Agustina Bessa-Luís vai passar a ser editada pela Relógio D’Água. O contrato, com uma duração de cinco anos, foi já assinado com a família da escritora, que, em Novembro do ano passado, rompera a relação que mantinha há já mais de seis décadas com a Guimarães Editores (grupo Babel).

Mónica Baldaque, filha de Agustina, confirmou esta quinta-feira ao PÚBLICO o novo contrato, que contempla a publicação, pela Relógio D’Água, de uma dezena de títulos da escritora até ao final do ano.

“Desde Novembro, recebemos muitos contactos e convites, tanto de grandes como de pequenas editoras, o que foi muito agradável. Mas a Relógio D’Água foi quem nos apresentou o projecto que nos pareceu mais interessante”, acrescentou Mónica Baldaque, não querendo no entanto detalhar os termos do novo acordo, nem o calendário das edições.

Já sobre o rompimento com a Guimarães, disse que ele foi motivado pelo “não cumprimento das condições contratuais” por parte desta editora, não querendo, no entanto, alongar-se no comentário à recente notícia avançada pela revista Sábado, citando a Babel, de que este grupo ia retirar os livros de Agustina dos seus escaparates porque a escritora passou a ser pouco procurada pelos leitores e compradores de livros.

“Isso é completamente absurdo; Agustina não vende porque não está cá fora”, diz Mónica Baldaque, referindo como exemplo a boa recepção à recente publicação dos Ensaios e Artigos (1951-2007) lançada pela Fundação Gulbenkian, e cuja segunda edição já saiu esta semana para as livrarias.

Sobre o novo contrato com Agustina, a Relógio D’Água limitou-se a anunciar a publicação de uma dezena de títulos até final do corrente ano, deixando os detalhes do seu programa para divulgação posterior. Mónica Baldaque adiantou que a editora irá compatibilizar a reedição de livros clássicos que há muitos anos estão em falta no mercado com a de títulos mais recentes, que também já não se encontram acessíveis.

Outra das razões que levou a família de Agustina a optar pelo projecto da Relógio D’Água é ele contemplar, além das edições e reedições, a promoção de “uma série de iniciativas, como exposições, ciclos de cinema e encenações teatrais” das suas obras. Isso será já visível este ano, nomeadamente na aproximação à data de 15 de Outubro, quando se assinalarão os 95 anos do nascimento da autora de A Ronda da NoiteCom Isabel Lucas