Rota dos Geossítios e Passadiços do Paiva dão a Arouca prémio de Geoconservação

É a segunda vez que Arouca recebe o prémio atribuído pela Associação Portuguesa para a Conservação do Património Geológico.

Os passadiços do Paiva vistos de um passadiço aéreo.
Os passadiços do Paiva vistos de um passadiço aéreo. Nelson Garrido
Nelson Garrido
Fotogaleria

O município de Arouca recebe no sábado o Prémio Geoconservação 2017 pelo seu projecto de Geoturismo Activo, revelou esta sexta-feira a autarquia, sublinhando que a distinção foi atribuída por um júri que envolve entidades nacionais e estrangeiras ligadas ao património natural.

A iniciativa é da ProGEO Portugal — Associação Portuguesa para a Conservação do Património Geológico que, para o júri do prémio, convidou também elementos da Associação Portuguesa de Geólogos, do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, da National Geographic Portugal e da tutela europeia da ProGEO.

Em avaliação estiveram candidaturas de oito municípios. Além da de Arouca, foram analisadas as propostas dos concelhos de Lousada, Nisa, Penacova, Ponte da Barca, Ribeira Grande, Sintra e da Associação de Municípios do Parque das Serra do Porto (que abrange Gondomar, Paredes e Valongo).

Segundo a acta da ProGEO Portugal, a que a Lusa teve esta sexta-feira acesso, o júri distinguiu o município do interior norte do distrito de Aveiro por "todo o trabalho desenvolvido no âmbito do Arouca Geoparque, nomeadamente com os projectos Rota dos Geossítios e Passadiços do Paiva". É a segunda vez que Arouca recebe o Prémio Geoconservação, sendo a primeira em 2008.

Para a vice-presidente da câmara municipal, Margarida de Belém, que concilia o pelouro do Turismo na autarquia com a presidência da Associação Geoparque de Arouca, esta distinção é "uma boa forma" de celebrar o Dia Mundial da Terra, precisamente no sábado.

"Estamos particularmente satisfeitos com este prémio", declarou. "Isso deve-se não só ao facto de o recebermos numa altura em que comemoramos o 8.º aniversário da entrada de Arouca nas redes europeia e global de geoparques da UNESCO, mas também porque ele assinala de forma muito positiva o nosso trabalho em prol do desenvolvimento sustentável, com base na geoconservação, na geoeducação e no geoturismo", realça a autarca.

A ProGEO Portugal revelou que, na sua avaliação, "foram privilegiadas as candidaturas que reflectem um trabalho já concretizado, centrado nos geossítios propriamente ditos e demonstrando um claro empenho de disponibilização de recursos das autarquias na defesa do património geológico". Nesse sentido, o júri decidiu também atribuir uma Menção Honrosa à Associação de Municípios do Parque das Serras do Porto, "pela qualidade da iniciativa de classificação dessas serras como Paisagem Protegida Regional, valorizando em especial o seu rico património geológico".

A acta de atribuição do prémio termina, contudo, com uma nota negativa: "O júri (...) lamentou mais uma vez o facto de a Associação Nacional de Municípios Portugueses nunca se ter feito representar [neste painel de avaliação], conforme consta do respectivo regulamento".