Há 17 anos, Pinto da Costa não viu o soco de Jardel

Na época 99/00, num jogo entre o FC Porto e o Campomaiorense, Jardel envolveu-se num lance semelhante ao protagonizado por Samaris. Na altura, confrontado com as imagens, o presidente dos "dragões" disse não ter visto nada.

Pinto da Costa considera que Jardel não deu um soco a José Soares
Foto
Pinto da Costa considera que Jardel não deu um soco a José Soares NFACTOS / FERNANDO VELUDO

O FC Porto foi espectador atento no jogo entre o Moreirense e o Benfica, porque os "dragões" podiam ter ficado em primeiro caso as "águias" tivessem escorregado. Dos vários lances de arbitragem que marcaram a partida, e que os "azuis e brancos" criticaram, o que envolveu Samaris nos momentos finais da partida assemelha-se a um caso ocorrido há 17 anos. Na altura, Jardel, do FC Porto, parece dar um murro a José Soares, do Campomaiorense. Ao ver as imagens num programa da RTP, o presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, nega a agressão.

Na newsletter “Dragões Diário” desta segunda-feira, no parágrafo com o subtítulo “Pornografia à hora do jantar”, o FC Porto critica a arbitragem do internacional Tiago Martins, incluindo o lance, já na recta final da partida, em que Samaris dá um murro no estômago de Diego Ivo, do Moreirense. “Faltou a bolinha vermelha no canto superior direito na transmissão da SportTV, porque o que ali se passou foi, de facto, pornográfico”, lê-se.

A reacção do clube contrasta com a do seu presidente, em Março de 2000, perante um lance similar. “Onde é que está o soco? Onde é que o senhor vê o soco? Está a ver o soco? Está a ver o soco? Desculpe, o senhor está a ver um soco? Onde é que está a ver?”, questionava repetidamente Pinto da Costa.

O presidente do FC Porto também questionou a reacção do jogador do Campomaiorense: “Então e o José Soares levava um soco e ficava na mesma?”.

Apesar disso, e depois do jogo que terminou com a derrota do FC Porto por 1-0, foram os "dragões" que mais se queixaram da arbitragem de Bruno Paixão, críticas essas que ainda hoje são recordadas. Em concreto, e depois do soco de Jardel, José Soares respondeu com uma estalada ao avançado brasileiro. Os "azuis-e-brancos" reclamaram vários pénaltis por assinalar.

Ainda recentemente, numa entrevista ao jornal O JogoJardel recordou o jogo polémico: "[José Soares] começou a segurar-me, viu que não me conseguia marcar. Deu-me um estalo na cara e eu dei-lhe um soco na barriga. Nunca vi uma pessoa fazer tanto penálti e Bruno [Paixão] não marcava. Oito ou dez penáltis sobre mim e nem um foi marcado. Parecia que estavam comprados. Quando se vê uma equipa a ganhar tudo, usam-se todas as armas, até as que não podem usar".

Esta segunda-feira, o Sporting apresentou uma queixa contra Samaris no Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol. Na noite anterior, os directores de comunicação dos "leões" e dos "dragões" já tinham criticado o jogador do Benfica e a arbitragem de Tiago Martins.

O Benfica reconquistou este domingo a liderança do campeonato com uma vitória em Moreira de Cónegos, num jogo marcado por uma exibição pouco inspirada e por diversos casos disciplinares. A seis jornadas do final do campeonato, os “encarnados” lideram com um ponto de vantagem sobre o FC Porto e oito sobre o Sporting, terceiro classificado.

Artigo actualizado às 21h43 com as queixas do FC Porto e de Jardel à arbitragem de Bruno Paixão no jogo contra o Campomaiorense.