Sindicato assina protocolo para educação financeira dos futebolistas

“Planeamento financeiro é fundamental”, alertou o governador do Banco de Portugal.

Joaquim Evangelista, à esquerda, e Carlos Costa, à direita, com a vice-presidente da CMVM, Filomena Oliveira, ao centro
Foto
Joaquim Evangelista, à esquerda, e Carlos Costa, à direita, com a vice-presidente da CMVM, Filomena Oliveira, ao centro LUSA/MÁRIO CRUZ

O Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) assinou nesta segunda-feira um protocolo com o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (CNSF) para a formação financeira junto dos futebolistas, num projecto válido para os próximos dois anos.

Numa cerimónia realizada na sede do Banco de Portugal, em Lisboa, o presidente do SJPF, Joaquim Evangelista, enalteceu o “enorme significado” deste acordo e considerou-o uma amostra do “compromisso com a educação” da instituição a que preside. “Queremos qualificar os jogadores de futebol e este é mais um instrumento que nos permite fazê-lo com sucesso. Os problemas financeiros têm um particular destaque nesta profissão. A maioria dos jogadores não está preparada para a poupança e queremos alertá-los para a necessidade de se preparem para as eventualidades”, afirmou.

O líder do SJPF apelou ainda aos clubes para colocarem na sua agenda “a formação integral dos jogadores”, sublinhando que “a profissão que os pais mais desejam para os filhos – depois de médico e engenheiro – é jogador de futebol.”

Por sua vez, o presidente do CNSF e também governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, salientou a premência desta iniciativa, destacando a especificidade da profissão de jogador de futebol. “Gostaria de realçar a sua importância em actividades em que o rendimento está concentrado num período curto. O planeamento financeiro é fundamental”, disse Carlos Costa.

O projecto, que vai decorrer até 2018, destina-se a jovens, jogadores no activo e ex-jogadores, preconizando a melhoria dos conhecimentos e da capacidade de gestão financeira dos futebolistas. Entre as medidas definidas no protocolo estão: um estudo de diagnóstico da literacia financeira dos jogadores; um programa de formação de formadores com acções de sensibilização; preparação de materiais de informação ajustados às necessidades dos jogadores; e a comemoração da “Jornada de Formação Financeira”, associada ao Dia Mundial da Poupança, entre 24 e 31 de Outubro.