Festival Húmus encerra o Ano de Raul Brandão em Guimarães

De 7 a 12 de Março a obra do escritor será toda uma festa.

Foto

O Ano de Raul Brandão termina de 7 a 12 de Março com a segunda edição do Húmus – Festival Literário de Guimarães, comissariado por Francisco José Viegas, que promete levar a obra daquele escritor à cidade, através de espectáculos de teatro, sessões de leitura, música e outras actividades.

Apresentado esta segunda-feira em conferência de imprensa, o festival, cujo nome é retirado da obra homónima de Raul Brandão e alude à metáfora da terra que vai dar frutos, será o "ponto alto" do ano que levou às escolas do concelho a obra brandoniana através de sessões de leitura, visitas de autores, uma agenda infantil, a Brandoninho, ou da inscrição de frases do escritor nas passadeiras da cidade.

Em destaque no festival estará a encenação da obra teatral completa de Raul Brandão pelo Teatro Oficina, em colaboração com mais de uma dezena de grupos de teatro da cidade (Festa de Teatro Raul Brandão, de 8 a 12 de Março), assim como conferências com escritores e estudiosos da obra do escritor – que, natural do Porto, acabaria por se fixar na freguesia vimaranense da Nespereira –, leituras encenadas e a presença em palco de Luís Represas e Rita Redshoes.

"Este foi um ano em que já muito se falou e trabalhou à volta de Raul Brandão, numa vertente escolar, numa vertente académica e numa vertente mais da sociedade civil, que é a de levarmos à rua Raul Brandão", explicou a vereadora da Educação da Câmara Municipal de Guimarães, Adelina Pinto.

O festival, que começa simbolicamente no dia em que a Biblioteca Raul Brandão celebra 25 anos, conta com grande envolvimento da comunidade e terá um foco especial nas escolas do concelho. "Num tempo em que no digital se vê quase a morte da biblioteca, quisemos começar o festival Raul Brandão nesse dia, uma marca simbólica", explicou a vereadora. "Haverá visitas de vários autores a várias escolas, que terão todas a sua semana da leitura", revelou, salientando que "em todas elas se vai ler Raul Brandão".

Sob a alçada do festival será ainda lançado um livro com uma "pequena biografia" do escritor, a cargo de João Pedro Ribeiro, assim como a reposição de obras de Raul Brandão nas livrarias, além do relançamento de Húmus e Memórias.

Para o comissário do Festival Literário Húmus, o evento e o "Ano Raul Brandão" colocaram Guimarães no mapa de um novo turismo: "É a cidade de Raul Brandão, [e] esta marca de Guimarães como cidade dos livros fica lançada por este Húmus. Hoje Raul Brandão e a sua obra fazem parte da memória, da paisagem da cidade."

Sobre o ano que termina com o festival, Francisco José Viegas destacou a forma como se tratou e viveu a obra de Raul Brandão: "Foi fundamental manter o espirito de um valor fundamental que marca a cultura contemporânea, a relação das pessoas com a cultura, a elegância. Isso é uma marca deste festival", apontou.

Sugerir correcção