Moradores dos prédios evacuados devido a incêndio em Guimarães regressam a casa

O incêndio foi dado como dominado por volta das 7h.

Os cerca de 150 moradores dos prédios evacuados em Guimarães, esta quinta-feira, devido a um incêndio deflagrado perto das 4h já estão a regressar a casa, mas continuam visíveis os efeitos do "intenso fumo" que "sujou, escureceu e empestou" a zona.

Em declarações à Lusa, no local, o vereador da autarquia vimaranense responsável pela Protecção Civil, Amadeu Portilha, explicou que o incêndio começou nas garagens de um prédio mas que "depois se propagou" às garagens de outros edifícios" não tendo passado para a parte das habitações. Neste fogo, um bombeiro sofreu queimaduras numa mão, mas depois de assistido já regressou a casa. Ficaram ainda "completamente destruídas" quatro viaturas, muitos dos prédios ficaram sujos pelas chamas e mantem-se um intenso cheiro a queimado.

"Isto podia ter sido bem pior", desabafou à Lusa António Silva, morador do edifício onde começou o incêndio. "Acordamos com dois estrondos às 4h, fomos à janela, começamos a ver pessoas, mas como não vimos nada voltamos para a cama. Depois fomos alertados pelos alarmes de incêndio, vestimo-nos e saímos. Agora já nos estão a deixar voltar aos poucos", disse.

O regresso dos moradores às suas casas está a ser feito por etapas: "Ainda está a ser feita a extracção do fumo, do monóxido de carbono que invadiu as caixas de escadas dos prédios porque a construção é antiga [os edifícios têm cerca de 35 anos] e não tem portas corta-fogo", explicou o comandante responsável pelas operações, Hersílio Campos. Segundo o responsável, "o regresso de todos a casa vai demorar o dia inteiro porque ainda há muito fumo nos prédios" mas, salientou, "não houve passagem de fogo para a área habitacional".

Além dos moradores também os comerciantes com porta aberta no pátio interior dos edifícios foram afectados pelo incêndio. "Aparentemente estava tudo direitinho. Passei um pano no balcão e, Jesus, saiu todo preto. Já sujei uns 30 panos e continuam pretos. Abri mais tarde e ainda tenho isto tudo empestado. Mas, vá lá, ninguém se magoou", disse Bernardino Machado.

"Isto foi um grande susto. Só tivemos tempo de tirar as ceroulas e enfiar umas calças, para não irmos para a rua em figuras tristes", confessou Firmino Lopes, também morador no edifício onde começou o incêndio. Por sua vez, Fernanda Pimenta lamentou: "E a roupa que estava tão branquinha".

No local estiveram 35 operacionais apoiados por 10 viaturas, PSP, Policia Municipal e técnicos da Protecção Civil, permanecendo no local os operacionais necessários para fazer a referida extracção de fumo. O incêndio foi dado como dominado às 7h.