Tal como em Sintra, PSD apoia em Anadia candidato que foi adversário em 2013

Litério Marques tinha sido expulso do PSD, mas voltou a ser militante do partido

Foto
Em 2013, o PSD também não apoiou Marco Almeida, mas quatro anos depois deverá corrigir o tiro Joana Bourgard

A comissão política distrital alargada do PSD-Aveiro aprovou, por unanimidade, esta segunda-feira, o apoio à candidatura de Litério Marques à Câmara de Anadia, que este liderou entre 1995 e 2013. Há quatro anos, o social-democrata rompeu com o PSD por discordar do candidato escolhido pelo partido e fundou o Movimento Independente Anadia Primeiro (MIAP). A candidata do MIAP, Teresa Cardoso, conquistou a câmara e Litério Marques foi expulso do PSD. Mas em Dezembro passado voltou a ser militante e é agora aclamado como candidato social-democrata à câmara a que presidiu durante 18 anos.

O caso de Anadia tem semelhanças com o de Sintra, onde as estruturas locais do PSD decidiram apoiar a candidatura à presidência da câmara de Marco Almeida, que em 2013 foi rejeitada pelo partido. O PSD optou, na altura, por Pedro Pinto, vice-presidente de Passos Coelho, o que levou Marco Almeida - que fora vice-presidente com Fernando Seara -  a candidatar-se por um movimento independente. A candidatura contou com o apoio de António Capucho, que ajudou a fundar o partido e que foi secretário-geral. Foram ambos expulsos do PSD, tal como dezenas de militantes em 2014, por integrarem candidaturas autárquicas contra o partido. Agora, o PSD prepara-se para apoiar Marco Almeida para as eleições deste ano como protagonista de uma candidatura independente, em que António Capucho irá liderar a lista para a Assembleia Municipal.

No caso de Anadia, Litério Marques já não podia ser candidato a presidente em 2013, por ter ultrapassado o limite de mandatos. Mas fez questão de participar na escolha do candidato do PSD à sua sucessão e não se conformou com a opção do partido, que recaiu então sobre o líder da concelhia. No início do mês de Dezembro, Litério Marques deixou o MIAP, pelo qual foi eleito vereador, alegando que, sem si, a estrutura já não fazia sentido. A actual presidente da câmara discorda e já anunciou a recandidatura pelo MIAP.

O líder da distrital de Aveiro do PSD, Salvador Malheiro, confirma que o apoio a Litério Marques foi decidido por unanimidade numa comissão política em que estavam todos os presidentes de secções e em que o antigo presidente da câmara voltou a preencher a ficha de militante. “Foi uma orientação da estrutura nacional. Quem estivesse interessado em voltar ao partido e mostrasse um certo arrependimento, podia fazê-lo”, afirmou.