Dulce Maria Cardoso e Paul Auster regressam ao romance, num ano de inéditos de Bolaño

Há sete anos que Paul Auster não publica romance. Dulce Maria Cardoso regressa depois de O Retorno. Durante 2017, regressaremos à obra do chileno Roberto Bolaño.

Fotogaleria
Dulce Maria Cardoso regressa com um novo romance, ainda sem título, que sairá na Tinta-da-China FOTO: Enric Vives-Rubio
Fotogaleria
Há sete anos que Paul Auster não publica um romance FOTO: Rui GAudêncio
Fotogaleria
Na Cavalo de Ferro aposta-se na húngara Magda Zsabó DR
Fotogaleria
João Tordo vai fechar a trilogia do Luto de Elias Gro e O paraíso de Lars D FOTO: Miguel Manso

Há sete anos que Paul Auster não publica um romance. Mas 4321 será editado em Portugal pela Asa a 31 de Janeiro em simultâneo com a edição americana, na celebração dos 70 anos do escritor. Conta a história de Archibald Isaac Ferguson, que nasce a 3 de Março de 1947, em Newark, New Jersey, uma criança a quem são dados quatro caminhos ficcionais diferentes: quatro pessoas, que são apenas uma vivem quatro vidas paralelas.

PÚBLICO -
Foto
Durante todo o ano, na Quetzal, irá ser destacada a obra do chileno Roberto Bolaño

Também numa edição simultânea com a original britânica sairá em Fevereiro, na Gradiva, O Populismo de Cristóbal Rovira Kaltwasser e Cas Mudde, este considerado um dos especialistas no fenómeno do populismo e que virá a Portugal. A edição portuguesa contará com excertos exclusivos sobre Donald Trump.

Durante todo o ano, na Quetzal, irá ser destacada a obra do chileno Roberto Bolaño (1953- 2003) de quem deverão ser publicados dois inéditos: O Espírito da Ficção Científica e Patria (volume que reúne as novelas Patria, Sepulcros de vaqueros e Comedia del horror de Francia); uma nova tradução de Os Detectives Selvagens (1998) e, nunca antes publicada em Portugal, Putas Assassinas (2001). E a Dom Quixote vai publicar Em Viagem pela Europa de Leste, de Gabriel García Márquez que ainda não tinha saído em Portugal e é um relato das viagens que o Nobel da Literatura fez pelos países de leste nos anos 50.

PÚBLICO -
Foto
Viet Thanh Nguyen, The Sympathizer

Uma das grandes obras literárias norte-americanas sobre a Primeira Guerra Mundial, O Quarto Enorme, de E. E. Cummings, será também publicado pela primeira vez em Portugal na Livros do Brasil. Tem por base a experiência de Cummings como condutor de ambulâncias em França e a sua prisão, durante três meses, em 1917. Este livro vai ser ilustrado com os desenhos elaborados por Cummings durante a prisão em La Ferté- Macé e editado segundo os critérios establecidos pelo autor, numa tradução de José Lima. 

Também o derradeiro romance do inglês J. G. Ballard, Kingdom Come / O Reino do Amanhã, até aqui inédito entre nós, sairá na Elsinore. Outro título nunca foi traduzido para língua portuguesa, As Novas Aventuras de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe será editado pela E-Primatur que aposta também na Ficção Curta Completa, de Herman Melville, volume em que se recolhem os contos e novelas do escritor (mais de metade inéditos por cá).

Dois romances emblemáticos de Guy Maupassant, inéditos em Portugal serão reunidos num único volume pela E-Primatur: Forte Como a Morte seguido de Pierre e Jean. A editora também vai publicar os Contos de Cantuária, de Chaucer, traduzidos do inglês medieval original por Daniel Jonas com as ilustrações de Edward Burne-Jones. Também numa primeira tradução feita a partir dos 4 manuscritos mais antigos em língua árabe, em Abril, sairá nesta editora o primeiro volume de As 1001 Noites e que revelam ao leitor um texto diferente daquele que encontrou na versão de Antoine Galland. A tradução é de Hugo Maia.

Durante este ano os portugueses irão ter acesso a uma tradução erudita do Épico de Gilgamesh feita por Francisco Luís Parreira, com introdução, aparato crítico e glossário (na Assírio & Alvim). 

PÚBLICO -
Foto
Zadie Smith, Swing Time FOTO: Pedro Cunha

Para Maio, a Relógio d'Água prepara a publicação de mais um volume de Canções: 2002-2012, do Nobel da Literatura Bob Dylan. E ao longo do ano continuará a edição das obras de Karl Ove Knausgård, No Inverno e Na Primavera

Duas obras de Ali Smith, o recente Autumn e o How To Be Both, que foi finalista do Man Booker e distinguido com o Baileys Women's Prize for Fiction, o Goldsmiths Prize e o Costa Book Awards serão editados pela Elsinore. A obra vencedora do Man Booker Prize e do National Book Critics Circle Award, The Sellout, de Paul Beatty, sairá na Elsinore que publicará ainda a estreia no romance de Viet Thanh Nguyen, The Sympathizer, que recebeu seis prémios, incluindo o Pulitzer. Swing Time, de Zadie Smith, sairá na Primavera na Dom Quixote e Cevdet Bey e os seus filhos, de Orhan Pamuk na Presença, em Março. O novo romance do Prémio Cervantes Eduardo Mendoza, O segredo da modelo perdida, vai sair na Sextante. Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los de J. K. Rowling e o terceiro volume da trilogia de Roma, Dictator de Robert Harris sairão na Editorial Presença. 

Este é também o ano do regresso de Dulce Maria Cardoso, depois de O Retorno, publicado em 2011. O novo romance, ainda sem título, sairá na Tinta-da-China. Editora que fará uma edição aumentada de O Último Amante, de Teresa Veiga (com duas novas novelas), e publicará um livro póstumo de Paulo Varela Gomes (1952-2016).

PÚBLICO -
Foto
António Jorge Gonçalves, A Minha Casa Não Tem Dentro FOTO: Enric Vives-Rubio

 Outro português, João Tordo, vai fechar a trilogia do Luto de Elias Gro e O paraíso de Lars D, com um livro a lançar no primeiro trimestre de 2017 pela Penguin Random House. Na Relógio d’Água regressa Ana Teresa Pereira com Tu Só Desapareceste e Rui Nunes com Baço Contínuo. Na Presença, Helder Macedo publicará Camões e Outros Contemporâneos

A Abysmo abre o ano com a publicação do primeiro volume da edição crítica, assinada por Luiz Fagundes Duarte, das Poesias Completas de Antero de Quental (Odes Modernas e Primaveras Românticas) e vai estrear-se depois na BD com uma novela gráfica do António Jorge Gonçalves, A Minha Casa Não Tem Dentro, em torno da sua morte clínica há uns meses.

Na Cavalo de Ferro sairá o livro de ensaios literários de Canetti, A Consciência das Palavras, os contos Octaedro, de Cortázar, o novo romance de Cynan Jones, The Cove, e aposta-se na húngara Magda Zsabó e nos seus romances Rua Katalin, A Balada de Iza, A Porta bem como no autor norueguês Dag Solstad com romance 11, livro 18 e A noite do professor Andersen.

PÚBLICO -
Foto
Uma nova edição de A Menina a Caminho do Prémio Camões 2016, o brasileiro Raduan Nassar será lançada pela Companhia das Letras

Na Elsinore, com selecção e organização de Francisco José Viegas, sairá ainda este mês a primeira antologia publicada em Portugal da novíssima poesia brasileira Naquela Língua - Cem Poemas e Alguns Mais - Antologia da Novíssima Poesia Brasileira. Nesta editora será lançado A Avó e a Neve Russa, de João Reis, tradutor de línguas nórdicas, que se estreou com o elogiado A Noiva do Tradutor.

Uma nova edição de A Menina a Caminho do Prémio Camões 2016, o brasileiro Raduan Nassar, será lançada pela Companhia das Letras e inclui dois contos e um ensaio nunca antes publicados.

PÚBLICO -
Foto
Rapazes de Zinco, onde a Nobel Svetlana Alexievich faz um relato polifónico da Guerra do Afeganistão

Carlos Vaz Marques escolheu mais um livro de Werner Herzog para a colecção de literatura de viagens, onde também sairá Beatriz Sarlo,  autora nunca publicada em Portugal; e já em Fevereiro, Carnaval no Fogo, de Ruy Castro, dedicado ao Rio de Janeiro. Do mesmo autor será publicado O Anjo Pornográfico, a biografia de Nelson Rodrigues. E em Maio, também na Tinta-da-China, Enigma, a autobiografia de Jan Morris, onde a autora relata o processo de mudança de sexo que fez na década de 1960, em Marrocos, que transformou James Morris, oficial do exército britânico, em Jan Morris. Na colecção de humor dirigida por Ricardo Araújo Pereira sairá Diário de Um Zé-Ninguém, de George Grossmith.

O segundo volume da biografia autorizada de Jorge Sampaio, da autoria de José Pedro Castanheira, que incide sobre o tempo em que foi Presidente da República será lançado este ano pela Porto Editora. Rapazes de Zinco, onde a Nobel Svetlana Alexievich faz um relato polifónico da Guerra do Afeganistão e do papel que a URSS teve nesse conflito, é publicado na Elsinore, que dela lançará também no final do ano As Últimas Testemunhas, com cem histórias nada infantis de crianças na II Guerra. Esta editora prepara o lançamento de As Guerras de Fátima, de Paulo Moura, a propósito do centenário das aparições de Fátima. E Os Últimos Dias de Estaline, do historiador Joshua Rubenstein, que faz o relato dos últimos meses antes da morte do líder russo será publicado pela Objectiva.

Jerónimo Pizarro e Carlos Pitella-Leite lançam na Tinta-da-China, em Março, Como Fernando Pessoa Pode Mudar a sua Vida -  inclui dezenas de imagens e textos inéditos. São 49 lições de vida, a saber: como desrespeitar o acordo ortográfico; como interpretar narizes; como reinventar o futebol; como ser livre; como insultar, entre muitas outras. A segunda parte da autobiografia de Nelson Mandela, com textos inéditos e reflexões do activista e presidente sul-africano, será editada pela Marcador que também publicará a autobiografia Hound Dog of The Sea, do surfista Garrett McNamara, bem como o relato autobiográfico da fotojornalista  Lynsey Addario, It's What I Do: A Photographer's Life of Love and War, que vai dar origem a um filme de Steven Spielberg.

Consciência de situação – Um ensaio sobre The Falling Man, de António Araújo, sairá na Abysmo. A historiadora Maria de Fátima Bonifácio regressa com Seis Estudos sobre o Liberalismo (Editorial Presença). A Relógio d’Água continuará a publicar George Steiner: em Janeiro, A Ideia de Europa e, em Fevereiro, George Steiner na New Yorker.

Na Elsinore está previsto Homo Deus: Breve História do Amanhã, de Yuval Noah Harari, a continuação de Sapiens: História Breve da Humanidade, bem como The Telomere Effect, de Elizabeth Blackburn e Elissa Epel, investigadoras premiadas na área da saúde que revelam alguns dos segredos do envelhecimento dos cromossomas. E prepara ainda Ódio à Poesia, de Ben Lerner, reflexão sobre a criação poética, Can Non-Europeans Think?, de Hamid Dabashi, resposta não europeia ao europeu e ocidental Slavoj Zizek, e The View From the Cheaps Seats, uma colectânea de paixões culturais e de experiências de vida do autor de culto Neil Gaiman.