Alemanha

"Estamos preocupados com o que o povo alemão vai pensar de nós"

Apesar de Thomas de Maizière, ministro do Interior alemão, ter confirmado que o suspeito do ataque com um camião ao Mercado de Natal em Berlim se tratava de um requerente de asilo paquistanês, há informações contraditórias: a AP e o Guardian citam o chefe da polícia de Berlim que admite a possibilidade de o paquistanês de 23 anos não ser afinal o homem que andam à procura. O autor do atentado pode estar ainda em fuga.

O ataque está a provocar insegurança entre a comunidade de refugiados em Berlim, que já condenou o ataque: "Fugimos deste tipo de terrorismo", afirmou o refugiado sírio Ibrahum Sufi à Reuters. Na declaração que fez esta terça-feira de manhã, a chanceler Angela Merkel admitiu que será especialmente duro se se confirmar que o autor destes crimes pediu a protecção do Estado alemão ao abrigo do estatuto de refugiado: “Seria particularmente repugnante para muitos alemães que se dedicaram, dia após dia, a ajudar os refugiados, e também para muitas pessoas que precisam de facto da nossa protecção e tentam integrar-se no nosso país”.

 

Sugerir correcção