Toni Erdmann é o vencedor do Prémio Lux de Cinema do Parlamento Europeu

Realizadora alemã Maren Ade distinguida na décima edição do prémio.

Foto
O filme de Maren Ade tem como actores principais Peter Simonischek e Sandra Hüller. DR

Toni Erdmann, da realizadora alemã Maren Ade, uma co-produção alemã, austríaca e romena, venceu esta quarta-feira a décima edição do Prémio Lux de Cinema do Parlamento Europeu, sucedendo a Mustang, do realizador franco-turco Deniz Gamze Erguven, distinguido no ano passado.

O filme vencedor, protagonizado por Peter Simonischek e Sandra Hüller numa história que explora a relação complexa entre um pai e uma filha, foi escolhido pelos deputados do Parlamento Europeu (PE). Em comunicado, o presidente do Parlamento, Martin Schulz, disse que Toni Erdmann “não oferece respostas fáceis, mas, entre momentos hilariantes, encoraja-nos a procurar aquilo que devemos proteger e estimar”.

Toni Erdmann, "uma combinação entre comédia negra e drama hilariante, descreve a relação difícil, carinhosa e por vezes absurda entre uma jovem emigrada e o seu pai", acrescentou Schulz. E "ilustra de forma comovente como as relações familiares mudam e nos afectam numa sociedade envelhecida e competitiva”, disse ainda o presidente do PE, em Estrasburgo, na sessão em que entregou o prémio a Maren Ade. 

No último Festival de Cannes, em que concorreu à Palma de Ouro, Toni Erdmann recebeu o prémio da Federação Internacional de Críticos de Cinema (Fipresci).

O Prémio Lux foi criado pelo PE em 2007, com o objectivo de promover o cinema europeu, através da distribuição (com a respectiva legendagem) e discussão dos filmes dentro da UE.

Os outros finalistas da edição deste ano foram À Peine J’Ouvre les Yeux, de Leyla Bouzid (França, Tunísia, Bélgica e Emirados Árabes Unidos), e o filme de animação franco-suíço Ma Vie de Courgette, realizado por Claude Barras. 

Desde Outubro e até ao final do ano, todos os filmes finalistas são exibidos nos 28 países da União Europeia. Em Portugal, foram já mostrados em Vila Real, Braga e Funchal, seguindo agora o Porto e Lisboa.