Futebolistas da Argentina em blackout por insinuações sobre Lavezzi

O seleccionador da Argentina, Edgardo Bauza, apoiou a decisão dos jogadores: "Quando essas agressões superam a área desportiva, podem ter este tipo de consequências", afirmou.

A selecção argentina venceu a Colômbia por 3-0, esta terça-feira
Foto
A selecção argentina venceu a Colômbia por 3-0, esta terça-feira AFP/JUAN MABROMATA

Os jogadores da selecção argentina de futebol, liderados por Lionel Messi, decretaram na terça-feira um blackout à imprensa do seu país devido às insinuações de que Ezequiel Lavezzi tinha sido visto a consumir marijuana.

Depois de ter comandado a Argentina na vitória clara sobre a Colômbia, por 3-0, Messi, que marcou um golo e fez duas assistências, apareceu na sala de imprensa, acompanhado pelos colegas de selecção, para anunciar que todos os jogadores passam a ficar em silêncio com a imprensa argentina.

"Tomámos a decisão de não falar com a imprensa. Obviamente que sabem porquê. Há muitas acusações, muito desrespeito e as acusações que foram feitas [a Lavezzi] são muito graves", disse Messi aos jornalistas.

Depois da derrota por 3-0 sofrida no Brasil, no primeiro jogo desta dupla jornada da zona de qualificação sul-americana para o Mundial2018, a selecção argentina foi alvo de muitas críticas, mas Messi fez questão de "separar as águas", garantindo que esta decisão relaciona-se exclusivamente com as insinuações que foram feitas sobre Lavezzi.

"Sabemos que muitos de vocês não jogam esse jogo de desrespeito. Podemos ser criticados se perdermos, ganharmos ou jogarmos mal. Mas estão a mexer com a nossa vida pessoal. Se não colocarmos um travão nisto, isto nunca mais irá parar", considerou Messi no esclarecimento aos jornalistas.

O seleccionador da Argentina, Edgardo Bauza, surgiu na sala de imprensa para a habitual conferência após o jogo, mas manifestou total apoio a esta decisão dos jogadores.

"Ainda não falei com os jogadores sobre essa matéria. Foi uma decisão deles. Foram duas semanas de agressões, fora do âmbito do futebol. Quando essas agressões superam a área desportiva, podem ter este tipo de consequências. A mim também me 'destruíram em pedaços'. Apoio totalmente esta decisão dos jogadores", afirmou o técnico.

Com a vitória de terça-feira sobre a Colômbia, na 12.ª jornada do torneio sul-americano, a Argentina recolocou-se na luta pelo apuramento directo para o Mundial2016, subindo ao quinto lugar, com 19 pontos, a apenas um da dupla formada por Equador e Chile, que ocupam as duas últimas vagas que qualificam directamente para a competição, que se disputará na Rússia.

O Brasil, que venceu no Peru por 2-0, lidera confortavelmente, com 27 pontos, seguido do Uruguai, com 23. Faltam apenas duas jornadas para terminar o torneio de apuramento da América do Sul.