Portugal pronto a receber 470 yazidis

"Teremos em atenção as características religiosas desta comunidade", diz ministro-adjunto Eduardo Cabrita.

A vinda para Portugal de mais de 400 pessoas da comunidade yazidi actualmente colocadas em campos de refugiados na Grécia ainda não tem data marcada. Mas a disponibilidade do Governo português para receber estes refugiados “já vem de há uns meses”, disse ao PÚBLICO o ministro-adjunto do primeiro-ministro Eduardo Cabrita.

A notícia já tinha sido avançada há uns dias pelo Diário de Notícias a propósito do envolvimento da eurodeputada Ana Gomes na recolocação de 470 elementos desta minoria do Médio Oriente perseguida pelos jihadistas do Estado Islâmico, no Iraque e na Síria (para onde são levados pelo EI).

Eduardo Cabrita confirma que serão cerca de 470 pessoas, estando o número final dependente de condicionalismos de última hora, e admite que “os primeiros possam chegar até ao final deste ano”. Não avança datas por ainda não estar marcada a deslocação. “Estão neste momento a tratar do pré-registo na Grécia”, explica.  

Esta comunidade “é um grupo com uma relação muito especial com outras comunidades de refugiados que tem tido na Grécia um tratamento em grupo” diz Eduardo Cabrita. “Em Portugal vamos tratar da sua inserção não os colocando em grupos, mas tendo em atenção as características religiosas desta comunidade” com “uma relação complexa com as comunidades maioritárias” de países como a Síria ou o Iraque. E conclui: “Ao recebê-los em Portugal [onde já foram acolhidos muitos sírios e iraquianos] teremos de ter em conta também as características próprias desta comunidade. Teremos grupos de famílias nas mesmas localidades.”