Novo presidente da CGD vai ganhar 423 mil euros por ano

Valor do salário de António Domingues foi revelado pelo ministro das Finanças no Parlamento.

António Domingues
Foto
António Domingues MIGUEL MANSO

O novo presidente do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai ganhar 423 mil euros anuais e os vogais executivos vão auferir 337 mil euros por ano, disse nesta terça-feira o ministro das Finanças no Parlamento.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, está a ser ouvido na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, a requerimento do PSD para responder a questões sobre a CGD e a execução orçamental relativa a 2016.

Em resposta a uma questão do deputado social-democrata Duarte Pacheco sobre quais os salários auferidos pelo novo Conselho de Administração do banco público, Mário Centeno disse que o presidente do conselho de administração vai ganhar 423 mil euros anuais, que os vogais executivos vão auferir 337 mil euros por ano e que os vogais não executivos vão ganhar 49 mil euros anuais.

O governante explicou que "a política remuneratória dos administradores da Caixa corresponde à mediana no sector em Portugal", uma métrica que, segundo disse, não influencia o mercado "nem no sentido de o inflacionar nem no de [estes salários] estarem fora do mercado".

Com mais administradores, custos para a CGD disparam, pelo menos, 70%

Mário Centeno garantiu ainda que "a aplicação da regra anterior na determinação da remuneração destes mesmos membros [significa que] o custo total de remunerações seria superior", comparando com o que é agora seguido.

A comissão executiva da CGD, cujos membros tomaram posse no dia 31 de agosto para o mandato de 2016 a 2019, é liderada por António Domingues, que ficou responsável, entre outras áreas, pela direcção de auditoria interna.

O conselho de administração da Caixa conta ainda com um vice-presidente não executivo (Emídio Rui Vilar), com seis administradores executivos (Emídio Pinheiro, Henrique Menezes, João Paulo Martins, Paulo da Silva, Pedro Leitão e Tiago Marques) e com três administradores não executivos (Angel Corcóstegui Guraya, Herbert Walter e Pedro Norton de Matos).

Notícia corrigida às 17h04: Rectificado no primeiro parágrafo o valor do salário dos vogais executivos, substituindo 397 euros por 337 euros.