Dois aeroportos e dois centros comerciais evacuados na Dinamarca já foram reabertos

Chamadas anónimas com ameaças de bomba na origem da decisão da polícia. Mas não passaram de falsos alarmes e todos os locais foram reabertos.

Fotogaleria
AFP/CLAUS BECH
Fotogaleria
AFP/CLAUS BECH

Quatro horas depois do alarme, as autoridades dinamarquesas reabriram os dois aeroportos regionais e dois centros comerciais nas pequenas cidades de Roskilde e Slagelse, perto de Copenhaga, assim como um campus universitário na capital, que tinham decidido evacuar ao início da tarde na sequência de várias chamadas telefónicas com ameaças de bomba. 

A polícia anunciou que não se registaram quaisquer danos nos quatro locais mas não está ainda claro quem poderá ter estado por detrás das ameaças.

Foram também enviadas as mesmas mensagens de ameaça de bomba para outros locais na região de Copenhaga, incluindo o aeroporto principal, mas não lhes foi dada muita importância porque provinham todas do mesmo remetente, explicou a polícia à televisão estatal TV2.

“Houve um número elevado de ameaças de bomba num curto espaço de tempo um pouco por todo o país”, informou a polícia dinamarquesa no social Twitter.

O campus da Copenhagen Business School foi evacuada por algum tempo mas deixou os alunos regressarem depois de ter feito uma despitagem, noticiou a Reuters citando o jornal Ekstra Bladet.

Em Roskilde, 35 quilómetros a oeste de Copenhaga, o aeroporto regional foi evacuado ao meio-dia (11h em Portugal), assim como um centro comercial no centro daquela cidade, o RO’s Torv, divulgou a polícia local. “Não foi caótico nem houve ânimos exaltados, mas sentia-se alguma apreensão” nas pessoas, contou à Reuters Anton Bestle, uma testemunha que estava no centro comercial.

Em Slagelde, a 100 quilómetros também a oeste da capital, as autoridades decidiram igualmente esvaziar um centro comercial e um aeroporto local.

Notícia actualizada às 18h20 com a informação de que os locais encerrados foram todos reabertos ao público.