Marcelo agradece às 25 mil pessoas que passaram pela Festa do Livro em Belém

O palácio presidencial esteve concorrido entre os dias 1 e 4 de Setembro. Foi a primeira Festa do Livro em Belém, que Marcelo prometera em Maio.

Foto
O Presidente da República prometeu uma nova Festa do Livro de Belém em 2017 Miguel Manso

Os últimos quatro dias no Palácio de Belém foram marcados por uma agenda cultural intensa e diversificada, com a Festa do Livro em Belém a ocupar os jardins presidenciais com livros, música e não só. Feitas as contas, 25.000 pessoas visitaram a iniciativa e mereceram, da parte do Presidente da República, um “obrigado” especial. E o Presidente já avisou que a festa se repete em 2017: "Para o ano, sim, essa certeza já tenho", prometeu.

Numa nota divulgada pelo site oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu a participação de todos os que se deslocaram ao Palácio no decorrer da feira do livro e que até fizeram fila para entrar. A nota relembra ainda, como é aliás um hábito do Presidente, a importância da leitura e da cultura, afirmando que "concertos, filmes, debates e muitos livros fizeram a diferença e enriqueceram decerto o dia dos que estiveram presentes".

O evento contou não só com a presença de três dezenas de editoras mas também com concertos musicais, como o da fadista Cristina Branco, na noite de sexta-feira. Outras actividades incluíram a declamação de poesia de língua portuguesa e várias mesas redondas, onde se debateram temas como “A Sabedoria dos Livros” e “Este País”. A programação foi dedicada em larga maioria à cultura lusófona, havendo ainda um espaço exclusivamente dedicado aos mais pequenos.

Organizada em conjunto pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) e pela Presidência da República, a festa foi anunciada em Maio e terminou, no domingo, com a exibição de “Visita ou Memórias e Confissões”, um filme póstumo do realizador Manoel de Oliveira. Texto editado por Sónia Sapage

Sugerir correcção