Torne-se perito

Mais uma teoria: será Banksy afinal Robert Del Naja, dos Massive Attack?

Estudante de jornalismo escocês detectou que várias deslocações da banda coincidem com o aparecimento de murais do street artist de Bristol, de onde também é natural o líder dos Massive Attack.

Foto
Robert Del Naja na última passagem dos Massive Attack por Portugal, em Julho deste ano DR

Um estudante de jornalismo escocês sugere, após uma exaustiva investigação, que o street artist Banksy será afinal Robert Del Naja, o líder dos Massive Attack. Num artigo publicado no final de Agosto no blog de Craig Williams – que tem sido citado por vários jornais europeus nos últimos dias –, o autor nota que os dois artistas estão frequentemente no mesmo local, à mesma hora: os itinerários das digressões da banda coincidem com o aparecimento de diversos murais do street artist de Bristol…

É apenas (mais) uma teoria acerca da identidade de Banksy, provavelmente o segredo mais bem guardado da arte contemporânea: de acordo com a reconstituição levada a cabo por Craig Williams, um estudante de mestrado na Universidade da Caledónia que cruzou os itinerários e os calendários das digressões dos Massive Attack com as coordenadas espácio-temporais do aparecimento de murais da maior estrela mundial da street art, Del Naja pode ser a pessoa de carne e osso por trás daquele artista anónimo. O estudante inventaria ainda algumas deslocações do líder dos Massive Attack a locais onde surgiram murais de Banksy, sublinhando a coincidência de ambos serem naturais de Bristol e defenderem as mesmas causas, nas mesmas alturas. 

O estudante de Glasgow lembra que Banksy deixou a sua marca pelo mundo, não só em Bristol, em Londres ou na América do Norte, mas também em locais mais improváveis, como a Austrália ou o Mali, onde conseguiu sempre encontrar cruzamentos entre os dois artistas, que se dizem conhecer desde pequenos e ser amigos. 

O primeiro jornal a avançar a notícia, o tablóide britânico Daily Mail, aponta as sobreposições entre a agenda dos Massive Attack e a descoberta de novos graffiti da autoria de Banksy. As coincidências são particularmente notórias ao longo da digressão norte-americana da banda em 2010: tanto no caso de São Francisco como nos de Toronto e Boston, poucos dias após os concertos são registadas intervenções do artista no espaço público. Também em 2013 a residência de Banksy em Nova Iorque, durante a qual produziu uma obra por dia para as ruas da cidade, coincidiu parcialmente com a estadia dos Massive Attack em Manhattan, onde desenvolveram um projecto site-specific para o Park Avenue Armoury.

A caça à verdadeira identidade de Banksy incide agora sobre um novo suspeito, depois de em 2008 Robin Cunningham ter sido apontado como o verdadeiro Banksy. Ou, como também admite Craig Williams, sobre um novo grupo de suspeitos, uma vez que o estudante não descarta a hipótese de se tratar de um grupo de pessoas ligadas aos Massive Attack.

O diário espanhol ABC contabilizou 15 situações em que Craig conseguiu encontrar coincidências entre os murais de Banksy e deslocações dos Massive Attack ou apenas de Del Naja. O estudante localiza em Agosto de 2004 uma das primeiras aparições de Banksy fora do Reino Unido, com o famoso mural Nossa senhora com uma pistola, pintado na fachada lateral de uma igreja no centro de Nápoles, a única cidade italiana onde tem obra. E nota que Del Naja é um fã do clube de futebol da cidade, o que reconheceu numa entrevista a uma rádio napolitana em 2010, explicando ter herdado essa paixão do seu pai italiano. Nessa entrevista, revela ainda ter estado em Nápoles para assistir a um jogo em Setembro de 2004, perto da altura em que o mural surgiu.

O estudante de jornalismo não conseguiu encontrar deslocações dos Massive Attack ou do seu líder à Palestina em Agosto de 2005, quando Banksy pintou um total de nove peças no muro erguido por Israel na Cisjordânia. Contudo, nota que Del Naja e os Massive Attack trabalham desde esse ano com a fundação HOPING  Hope and Optimism for Palestinians in the Next Generation – e têm dado o seu apoio à causa palestiniana. 

Por cá, só podemos notar que os Massive Attack já actuaram várias vezes em Portugal, a última das quais a 15 de Julho, no Festival Super Bock Super Rock, mas, até agora, não há registo de qualquer intervenção de Banksy no país. 

Sugerir correcção