Um Festival Forte para agitar Montemor-o-Velho

Nascido em 2014, o festival dedicado à música electrónica atrai público vindo de todo o mundo, que compõe 70% dos espectadores presentes no castelo da vila do distrito de Coimbra. Este ano, destaca-se o regresso dos britânicos Cabaret Voltaire ou o concerto do australiano Ben Frost.

Foto
O Festival Forte, dedicado a várias vertentes música electrónica, trouxe ao castelo e à sua vila bem-vinda agitação e um protagonismo inédito. dr

O quase milenar Castelo de Montemor-o-Velho, construído em 1088 sobre a fortificação ali existente previamente, vive desde 2014 animação sazonal como não se via há séculos. Exageramos, claro, mas a verdade é que o nascimento do Festival Forte, dedicado a várias vertentes música electrónica, trouxe ao castelo e à sua vila, no distrito de Coimbra, bem-vinda agitação e um protagonismo inédito.

Destacado em publicações como a Resident AdvisorTrax Magazine, Pitchfork ou Quietus, que o elogiam pela localização e programação, o Festival Forte leva cinco mil pessoas por dia ao castelo para acompanhar a música que nele se faz ouvir desde o início da noite até à manhã do dia seguinte – e bem para além dele.

Este ano, em que a percentagem de público estrangeiro rondará 70 por cento do total, os destaques vão para a estreia em Portugal dos britânicos Cabaret Voltaire, ícones da pop experimental e pioneiros da electrónica na música popular urbaba, mas também para o concerto do australiano radicado na Islândia Ben Frost ou para a actuação do alemão Apparat.

A partir das 22h desta quinta-feira, ouvir-se-á Ancient Methods, Ben Klock, Amulator Rui Vargas ou Apart, entre muitos outros. Quinta e sexta-feira, a música prolonga-se até às 9h da manhã. Sábado a despedida será em grande, com 23 horas seguidas de música: o Festival Forte só se despedirá às 21h de domingo.