Phelps: “Mais quatro anos? Não. Não. Acabou-se”

Nadador norte-americano desfaz as dúvidas: não vai aos Jogos de Tóquio em 2020.

Foto
Joseph Schooling foi, para já, o único a vencer Michael Phelps no Rio Stefan Wermuth/Reuters

Para a conferência de imprensa após a final dos 100m mariposa da natação olímpica dos Jogos do Rio 2016, apareceu primeiro um dos três medalhados com prata, Lázsló Cseh, e o húngaro, sozinho perante a imprensa internacional, lá respondeu a umas quantas perguntas, mas quase todas com um protagonista que não ele. Depois apareceram ao mesmo tempo, Chad Le Clos, outro dos medalhados com prata, e Joseph Schooling, o medalha de ouro, e boa parte das perguntas foram sobre o medalhado que ainda não tinha aparecido. Passaram mais alguns minutos e o aviso surgiu, só mais duas perguntas.

Foi quando apareceu na sala aquele que não tinha vencido a prova mas que era o nadador com quem toda a gente queria falar. Afinal, não era todos os dias que Michael Phelps ganhava uma medalha de prata. A derrota de Phelps nos 100m mariposa foi coisa rara na carreira do nadador norte-americano, mas até nos momentos que não são de ouro Phelps é gracioso. “Vá lá, façam perguntas ao Joe, que ganhou a medalha de ouro”, disse. Mas o foco continuou nele e na hipótese de prolongar o seu palmarés olímpico em Tóquio 2020.

“Mais quatro anos? Não. Não. Acabou-se. Ouviram o Ryan [Lochte] dizer que eu vou andar nisto mais quatro anos. Vou manter-me assim. Fiz tudo o que me propus fazer e, depois de 24 anos nisto, estou feliz como as coisas vão acabar. Poder fechar nos meus termos, é por isso que estou feliz agora. Devia estar muito chateado por ter perdido uma corrida e ninguém gosta de perder, mas estou orgulhoso do Joe, ele foi melhor. Estou pronto para me retirar. Estou num estado de espírito melhor do que estava há quatro anos”, garantiu o nadador norte-americano, que ainda irá participar na estafeta de 4x100m estilos no último dia da natação olímpica no Rio.

Depois das dúvidas desfeitas, Phelps ainda ouviu um apelo em forma de pergunta da parte de uma jornalista japonesa, que quase lhe pediu para aguentar mais quatro anos e nadar em Tóquio. Phelps garantiu a presença, mas não como candidato a medalhas. “Vou a Tóquio, mas não vou competir”, foi o melhor que Phelps prometeu. Também perguntaram ao maior campeão olímpico de sempre o que iria fazer depois da última corrida no Rio. Phelps disse que vai estar ocupado: “Vou viajar e trabalhar em alguma coisa, mas depois disso não sei. Quero estar com a minha família. Vou casar-me no final do ano e vou estar muito ocupado. Mas no bom sentido.”

O ouro fugiu a Phelps e Ledecky fugiu a toda a gente