Atirador João Costa diz que Aldeia Olímpica é "a mais inacabada" em que já esteve

Foto
João Costa durante os Jogos Europeus do ano passado DR

O atirador português João Costa, que vai participar pela quinta vez em Jogos Olímpicos, disse que a Aldeia Olímpica do Rio 2016 é a mais inacabada em que já esteve.

“É a mais inacabada, é uma aldeia ‘não está pronto hoje, amanhã acaba-se’. Não há palavras. Tiveram seis anos para preparar. Provavelmente, as pessoas que comprarem estes apartamentos já os terão acabados. Pormenores técnicos, coisas pequenas”, disse à Agência Lusa.

O atleta mais velho da delegação portuguesa, de 51 anos, garantiu que, apesar destes problemas, “o ambiente é excepcional, como sempre”.

“Nós fazemos a nossa sala de espera com um café, uns ‘puffs’. É quase como se estivéssemos em casa em Portugal”, referiu.

João Costa revela que é bom voltar a estar com atletas de outras modalidades, com quem só costuma estar de quatro em quatro anos.

“Ao Nuno Delgado (antigo judoca e actual treinador) só o vejo de quatro em quatro anos, é uma chatice. Por culpa minha, se quisesse tinha ido ao ginásio dele”, afirmou.

Apesar de já estar pela quinta vez em Jogos Olímpicos, João Costa ainda se deixa deslumbrar “com atletas de outras modalidades” e enalteceu o “muito de trabalho” que muitos têm e que se vê “no físico”, revelando que já reencontrou algumas ‘estrelas’.

“Estive com o [Rafael] Nadal, já tinha estado com ele em Pequim na zona de acreditação e agora encontrei-o aqui e estive a trocar algumas palavritas com ele. Ele não se lembrava de mim, tive de o recordar”, afirmou à Lusa.

João Costa deixou ainda algumas críticas aos atletas que não quiseram estar na Aldeia Olímpica, considerando que, por si, “nunca mais seriam convidados”.