Não, ainda não vem aí o Harry Potter Go

Os rumores começaram a circular este fim-de-semana citando uma suposta entrevista da empresa que desenvolveu o Pokémon Go. No entanto, aparentemente, a entrevista não existe.

Petição a pedir o jogo já ultrapassou as 40 mil assinaturas
Foto
Petição a pedir o jogo já ultrapassou as 40 mil assinaturas KACPER PEMPEL/Reuters

Os rumores começaram no último fim-de-semana e coincidiram com o lançamento do mais recente livro da saga Harry Potter, Harry Potter and the Cursed Child - Parts I & IIque a autora JK Rowling já disse ser o último. As promessas de que em 2017, os fãs da saga de feitiçaria mais famosa do mundo poderiam escolher entre as quatro casas de Hogwarts num jogo baseado no Pokémon Go tornaram-se completamente virais, mas até agora não existe evidência de que o anúncio seja verdadeiro.

Apesar de ter sido citado em alguns blogues e jornais, uma rápida pesquisa sobre o assunto permite perceber que os artigos que originalmente citaram a entrevista a Marcus Figueroa, um dos representantes da Niantic, remetem para um endereço da revista IGN que não está a funcionar, não se sabendo se foi removido ou se nunca existiu.

Além disso, um dos sites que ajudaram a notícia a tornar-se viral, o JTXH News, é uma página de notícias falsas, cuja homepage está em branco.

Para já decorre uma petição que já ultrapassou as 40 mil assinaturas, e que poderá ter sido uma das inspirações do boato, onde os signatários dão algumas ideias para o que podem ser as funcionalidades do jogo. Um grito Expelliarmus!, e podemos desactivar a aplicação de outro feiticeiro durante alguns momentos, sugerem os signatários. Procurar goblins, hipogrifos, lobisomens e dragões, ou vestir a capa do exército de Dumbledore e encontrar (e destruir) as sete horcruxes são outras das ideias listadas.

No entanto, para já, ainda não existem relatos oficiais de que o jogo está a ser desenvolvido.