Desafio lançado ao país: vamos passar a usar mais a bicicleta?

Plataforma Tecnológica da Bicicleta, nascida, em 2014, na Universidade de Aveiro, lança o desafio a todas as entidades públicas e privadas para que incentivem o uso dos veículos de duas rodas.

Adriano Miranda
Foto
Adriano Miranda

Autarquias, comunidades intermunicipais e áreas metropolitanas, universidades, organizações da administração pública, empresas e associações, todas são chamadas a assumir o “compromisso pela bicicleta”, um verdadeiro desafio nacional que é lançado, nesta terça-feira, na Murtosa, município da região de Aveiro, que é “campeão” no uso dos veículos cicláveis. A ideia partiu da Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave – estrutura criada pela Universidade de Aveiro (UA), em 2014, com o objectivo de apoiar a criação de condições favoráveis ao uso e à investigação sobre a bicicleta – e conta com o apoio das principais instituições e organizações ligadas à bicicleta, nomeadamente a ABIMOTA (Associação Nacional das Indústrias das Duas Rodas), Federação Portuguesa do Ciclismo, Federação Portuguesa do Cicloturismo, entre outras.

Na prática, o que se pretende é mobilizar o maior número de instituições públicas e privadas para promoverem actividades em prol do uso regular da bicicleta. Como? Depois de aderirem ao compromisso, as organizações ou empresas programam o seu envolvimento no desafio, escolhendo entre as iniciativas propostas as que lhes pareçam mais adequadas ao seu perfil de interesse ou motivação. Entre as várias medidas sugeridas estão a promoção de eventos com enfoque no uso da bicicleta, oferta de estímulos para a utilização regular dos veículos de duas rodas por parte dos seus colaboradores ou trabalhadores, bem como a criação de condições de estacionamento e equipamentos de apoio (nomeadamente duche ou cacifos).

“Atendendo a que, tanto a nível europeu, como a nível nacional, está a ser feita uma aposta na promoção do uso da bicicleta, a Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave, em bom tempo, teve a ideia de chamar outras entidades a assumirem um compromisso pelo uso da bicicleta”, realçou ao PÚBLICO Paulo Vila Real, vice-reitor da universidade aveirense. A UA que, segundo fez questão de recordar o vice-reitor, já tem vindo a dar o exemplo ao nível da mobilidade ciclável, tendo avançado com várias iniciativas que visam motivar a comunidade académica a fazer as suas deslocações de e para a universidade de bicicleta – este ano lectivo, foram criadas zonas de duches e pequenos-almoços saudáveis para quem se desloca de bicicleta.

Aumentar a quota modal da bicicleta

Ainda que esteja apenas em fase de arranque, este compromisso pela bicicleta já tem metas bem definidas e passam, entre outros objectivos, por “aumentar em 10 por cento a quota modal da bicicleta (actualmente representa 0,5 por cento do total das deslocações casa-trabalho/escola)”, “reduzir em 10 por cento o número de deslocações em veículo individual (neste momento constituem 60 por cento do total das deslocações casa-trabalho/escola”, “estimular estilos de vida saudáveis” e “reduzir as emissões e a dependência energética dos combustíveis fósseis”.

Com este compromisso, os promotores esperam ainda “incentivar a aquisição de bicicletas e estimular a produção nacional”, ajudando, assim, as indústrias do sector das duas rodas.

A esta altura, e não obstante o facto de a sessão de lançamento oficial do projecto ainda não ter ocorrido – está agendada para as 17.30 horas, no COMUR – Museu Municipal da Murtosa, e irá contar com a presença o secretário de Estado do Ambiente, José Mendes – já aderiram ao compromisso mais 80 instituições, do Minho ao Algarve. “É um número muito positivo”, destacou Margarida Coelho, da coordenação da Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave, sem deixar de evidenciar também a variedade das organizações que já responderam positivamente ao desafio. “Temos já 14 câmaras municipais, 38 empresas de vários sectores, e organizações variadas, desde universidades, escolas, passando por organizações ligadas à cidadania”, referiu ainda Margarida Coelho. Sem uma perspectiva numérica concreta, os promotores do desafio esperam que muitas mais entidades se juntem a estas já confirmadas. Os organismos e empresas que queiram aderir a este compromisso podem fazê-lo até final de Junho – através do website http://compromissopelabicicleta.web.ua.pt - e, até final de Novembro, deverão apresentar um relatório das actividades desenvolvidas. O calendário do projecto da Plataforma Tecnológica da Bicicleta prevê ainda a realização, em Janeiro de 2017, de uma conferência nacional sobre o “compromisso da bicleta”. E em Março de 2017 será lançada uma nova edição do “compromisso pela bicicleta”.