PSD quer que Ministério Público investigue se Centeno prestou falso depoimento

Luís Marques Guedes diz que declarações do ministro das Finanças configuram um crime público.

Marques Guedes: “A busca de compromissos é uma modalidade com muito poucos adeptos e ainda menos praticantes na política portuguesa”
Foto
Marques Guedes: “A busca de compromissos é uma modalidade com muito poucos adeptos e ainda menos praticantes na política portuguesa” Daniel Rocha

O deputado Luís Marques Guedes, do PSD, considerou esta quarta-feira que o Ministério Público deve investigar se o ministro das Finanças, Mário Centeno, prestou um falso depoimento na comissão parlamentar de inquérito ao Banif, destacando que tal configura um crime público.<_o3a_p>

"O Ministério Público terá que apurar o depoimento falso" de Mário Centeno, afirmou Marques Guedes logo no arranque dos trabalhos da comissão de inquérito, sublinhando que este órgão tem "poderes de autoridade judiciária".<_o3a_p>

Por isso, "prestar falsas declarações na comissão parlamentar de inquérito é crime público", vincou.<_o3a_p>

O deputado do PSD apontou para as alegadas "contradições" entre as duas audições do ministro das Finanças nesta comissão, no que toca aos esforços que o governante terá desenvolvido junto da Comissão Europeia relativamente à venda do Banif ao Santander Totta no âmbito do processo de resolução.<_o3a_p>

E realçou: "A eficácia dos trabalhos desta comissão depende da verdade dos depoimentos. Se cada pessoa que chegar aqui faltar à verdade, então não estamos aqui a fazer nada".<_o3a_p>

Marques Guedes insistiu que na passada terça-feira, quando Centeno foi ouvido pela segunda vez nesta comissão, "ficou claro que existe uma contradição insanável" face às suas declarações prestadas a 7 de Abril no parlamento.<_o3a_p>

O deputado social-democrata considerou que esta situação configura um crime público, pelo não é necessário que haja uma denúncia para que seja investigado pelo Ministério Público. "Há obrigação da autoridade actuar", assinalou.<_o3a_p>

Mais, Marques Guedes quer que este episódio sirva de exemplo para todos os responsáveis que ainda vão ser ouvidos pelos deputados da comissão de inquérito ao Banif. "Não é possível fingir que andamos aqui a fazer de conta", sublinhou.<_o3a_p>

Daí, Marques Guedes solicitou ao presidente da comissão de inquérito, o deputado do PCP António Filipe, que sejam disponibilizados os depoimentos em causa ao Ministério Público.<_o3a_p>

"Em nome da comissão, só o farei se houver uma deliberação nesse sentido por parte da mesma", afirmou António Filipe.<_o3a_p>

Já Filipe Neto Brandão, deputado do PS, pediu a palavra para "repudiar veementemente a acusação de que o ministro das Finanças fez um depoimento falso", criticando as afirmações de Marques Guedes.<_o3a_p>

Na terça-feira, Centeno reiterou "todas as afirmações" que já prestou à comissão de inquérito ao Banif, falando numa "insinuação" do PSD em seu torno assente em "leituras parciais e enviesadas de documentos". <_o3a_p>

E realçou: "Reitero todas, sublinho todas, as afirmações que proferi nesta Assembleia, perante a comissão de inquérito e perante a comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa. Não aceito que me imputem falsidades sustentadas em truncagens dos factos e em leituras parciais e enviesadas de documentos. Estarei sempre disponível para contribuir para a descoberta da verdade, pois estou muito confortável com ela", advogou Mário Centeno.<_o3a_p>

O responsável falava na comissão de inquérito ao Banif, onde estava a ser ouvido pela segunda vez, depois de o PSD o ter acusado de prestar "um depoimento falso" no parlamento sobre o seu papel na venda do banco ao Santander Totta durante a sua primeira audição.<_o3a_p>