Rota do Contrabando regressa a Marvão

Município de Marvão organiza "caminhada" para recordar os tempos de contrabando de café.

Durante décadas, o contrabando era fonte de sustento para famílias raianas.
Foto
Durante décadas, o contrabando era fonte de sustento para famílias raianas. António Carrapato

No próximo dia 7 de Maio, o município de Marvão promove uma homenagem aos antigos contrabandistas raianos, levando a cabo uma caminhada pelos caminhos da rota do contrabando do café.

Os caminheiros poderão, ao longo de cerca de nove quilómetros de percursos sinuosos, conhecer “uma zona de extraordinária beleza natural e paisagística”. Esta caminhada passará também por diversas aldeias historicamente ligadas ao contrabando.

A caminhada terá início nos Galegos, junto à sua escola primária, pelas 8h, onde os caminheiros poderão ganhar forças para o percurso com as típicas migas de pão com carne de porco frita e ainda o “café do contrabandista". La Fontañera e Pitaranha estão também incluídas no percurso desta rota.

No regresso a Galegos, os caminheiros inscritos poderão recuperar o gasto de energia da caminhada com um almoço, servido na escola primária, onde se realizará também um mercado de produtos locais e regionais, assegurado por produtores marvanenses e espanhóis.

Numa região raiana onde, durante muitos anos, o contrabando foi fonte de sustento para as famílias, a presença de muitas torrefacções de café no concelho de Marvão facilitava as actividades ilícitas com este produto. Para fugir aos guardas-fiscais e carabineiros, que controlavam a fronteira entre Portugal e Espanha, os contrabandistas punham-se a caminho pela calada da noite, por caminhos exíguos, atravessando os campos fronteiriços.

Os interessados poderão inscrever-se através do mail [email protected]

Texto editado por Ana Fernandes