Torne-se perito

Fellini dá o mote à nona Festa do Cinema Italiano a partir de 30 de Março

Uma cópia restaurada de Fellini Oito e Meio chega às salas logo a 31. E o festival inaugura com O Conto dos Contos de Matteo Garrone.

Fotogaleria
Uma cópia restaurada de Fellini Oito e Meio chega às salas a 31
Fotogaleria
Ettore Scola, um dos nomes maiores da comédia italiana dos anos 1960 e 1970, será homenageado com a exibição de filmes que dirigiu
Fotogaleria
Na abertura oficial, a 30 de Março, a ante-estreia de O Conto dos Contos de Matteo Garrone

É sob o signo de Federico Fellini, e do filme que lhe deu nome, que a 8 ½ Festa do Cinema Italiano arranca em Lisboa no próximo dia 30. O cartaz do festival evoca aquele clássico de 1963 com Marcello Mastroianni no papel principal, e uma cópia restaurada de Fellini Oito e Meio estreia no UCI Corte Inglés em cópia restaurada logo no dia 31, acompanhado por uma exposição de fotos de cena tiradas durante a rodagem do filme, e pela presença no festival do argumentista Gianfranco Angelucci, co-argumentista de Entrevista e estudioso do realizador. A nona edição do evento de divulgação do cinema italiano desdobra-se este ano entre os cinemas UCI e São Jorge e a Cinemateca Portuguesa, onde decorrerá uma retrospectiva de homenagem ao recém-falecido Ettore Scola, um dos nomes maiores da comédia italiana dos anos 1960 e 1970, com a exibição de filmes que dirigiu como Feios, Porcos e Maus, Um Dia Inesquecível ou Tão Amigos que Nós Éramos, ou de obras em cujo argumento colaborou como Os Monstros e A Ultrapassagem.

A abertura oficial tem lugar a 30 de Março com a ante-estreia de O Conto dos Contos de Matteo Garrone (Gomorra) com Salma Hayek e John C. Reilly, encerrando a 7 de Abril com um dos maiores êxitos recentes da cinematografia transalpina, a comédia Quo Vade? de Gennaro Nunziante. São, a par de A Espera de Piero Messina, com Juliette Binoche, de Mergulho Profundo, remake de A Piscina pelo realizador de Eu Sou o Amor, Luca Guadagnino, com Tilda Swinton e Ralph Fiennes, e de Anna, de Giuseppe Gaudino, que valeu a Valeria Golino o prémio de melhor actriz em Veneza 2015, alguns dos filmes que terão estreia comercial entre nós após o encerramento da Festa em Lisboa. Outros filmes exibidos nas múltiplas secções da Festa incluem os mais recentes trabalhos de Marco Bellocchio (Sangue di Mio Sangue) e Marco Tullio Giordana (Lea), o documentário sobre Antonio Tabucchi Rua da Saudade, 22, dirigido por Diego Perrucci, e Estrada 47, do brasileiro Vicente Ferraz, sobre uma história verídica da participação brasileira na II Guerra Mundial em Itália.

Depois da semana lisboeta, o certame segue para Cascais, Coimbra, Porto, Aveiro e Elvas durante Abril, viajando em Maio para Loulé, Caldas da Rainha, Guimarães, Évora e Funchal, com passagens por Almada em Junho/Julho, Setúbal em Julho/Agosto, Braga em Setembro e Beja em Outubro. De salientar a continuação da aposta do evento em estender-se à diáspora lusófona; repetindo da edição anterior a viagem às capitais de Moçambique e Angola (em Junho), a Festa estende-se este ano também ao Brasil, com uma semana de projecções em oito cidades brasileiras entre 24 e 31 de Agosto.

Sugerir correcção