peixe
Foto
peixe

peixe:avião lançam “Peso Morto” a caminho de abordagem mais distante da voz

peixe:avião apresentam sábado, 6 de Fevereiro, o novo álbum, "Peso Morto", o "mais minimal" da banda

A banda peixe:avião vai apresentar, no sábado, no Porto, o novo álbum, intitulado "Peso Morto", que o guitarrista Luís Fernandes descreve como "mais minimal", a nível de conteúdo lírico, abordagem que o grupo está a aprofundar.

"Estamos a caminhar para uma abordagem menos assente na voz, já estamos nesse registo até", afirmou, em entrevista à Lusa, Luís Fernandes, realçando o vocalista Ronaldo Fonseca, por seu lado, que agora os músicos aproximam, ainda mais, aquilo que está no disco do que é a actuação ao vivo. Luís Fernandes sublinhou que a banda se sente "mais confortável na pele" que tem agora, do que na que tinha nos discos iniciais, muito por via do "processo de aprendizagem de fazer música em conjunto e até individualmente", o que possibilita que o músico possa hoje dizer "que o som da banda é mais próprio e é mais fruto de uma visão comum do que é fazer um disco em banda".

O título, "Peso Morto", é proveniente de uma das letras, que, diz Ronaldo Fonseca, "continuam sempre com o mesmo aspecto autobiográfico". Ainda que tente "fugir disso" e "fazer com que as letras sejam abstractas e que cada pessoa leia aquilo, incorpore e interprete à sua maneira". "Aquilo que também se manteve foi o enquadrar da parte lírica com a parte instrumental — se a parte instrumental é uma coisa mais mexida, se é mais contida, tentar fazer com que as coisas tenham essa equivalência. Este disco, como até o próprio nome diz, 'Peso Morto', a nível instrumental, tem muito essa cadência, essa inércia, essa acção-reacção e as letras tentam encaixar-se nisso", diz o vocalista.

Para Luís Fernandes, "Peso Morto" "remete para algo muito duro e cru", algo que se liga ao disco como um todo: "Achámos que isso tinha muito a ver com o disco em si, com a instrumentação, que, nalguns casos, é mais dura e crua do que noutros discos. E queríamos assumir a continuação da ruptura de outros discos". O guitarrista constata que os peixe:avião são "cada vez menos uma banda de 'airplay' [tempo de rádio]", o que faz com que, quer queiram quer não, "os concertos acabem por ser cada vez mais seleccionados". "Não é uma escolha que façamos, não deixámos de ter 'airplay' porque achamos que é mau. Simplesmente, a nossa música foi mais por um caminho nessa base. Não nos importávamos de ter 'airplay'", afirmou Luís Fernandes, com um sorriso.

Com "edição tripartida" da PAD, Rastilho e FNAC Cultura, os peixe:avião divulgaram esta semana o segundo 'single' do disco, de nome "Miragem", e vão actuar no sábado, no Rivoli — Teatro Municipal, no Porto, seguindo-se o Lux, em Lisboa, a 18 deste mês, e o Theatro Circo, em Braga, dois dias depois.