Chegam Clinic ou os Bitchin Bajas com Boonie Prince Billy, alargam-se as fronteiras do Tremor

O festival que se realiza em Ponta Delgada entre 15 e 19 de Março junta Bitchin Bajas, com Bonnie Prince Billy, PAUS, Dan Deacon, Clinic ou Filho da Mãe ao seu cartaz

Bonnie Prince Billy chegará aos Açores para actuar em conjunto com os Bitchin Bajas
Foto
Bonnie Prince Billy chegará aos Açores para actuar em conjunto com os Bitchin Bajas DR

Se dúvidas houvesse que o Tremor estava a crescer além das suas fronteiras açorianas, as delimitadas por São Miguel e da Ponta Delgada que lhe serve de epicentro, elas ficariam desfeitas com o sucedido a semana passada, quando festival que agita a capital micaelense levou festa e concertos a Lisboa e a Londres. Agora, confirma-se mais ainda, passe a redundância.

A um cartaz onde já encontrávamos a americana Julianna Barwick ou os canadianos Suuns e Black Mountain, juntam-se os xamãs americanos Bitchin Bajas, que regressam ao Tremor com companhia de luxo, a do trovador Bonnie Prince Billy. Para além deles, anuncia-se o homem festa da electrónica, Dan Deacon, esse misterioso combo de psicadelismo inglês chamado Clinic, os mestres voodoo-dub HHY & The Macumbas, vindos do Porto, ou o guitarrista Filho da Mãe e os PAUS, vindos de Lisboa. Os Clinic aterram em Ponta Delgada pelas mãos de um novo parceiro do Tremor, o Liverpool International Festival of Psychedelia, que convocou igualmente Lost Tapes DJ7.

Os visitantes internacionais e do continente terão, como habitualmente, a companhia de representantes da cena local. Ouvir-se-á o stoner rock dos SPANK LORD, a viola da terra de Rafael Carvalho, o trio italiano sedeado nos Açores Rapeciâz Trio e uma representação, com palco próprio, do hip hop açoriano, formada por Fred Cabral, DJ Rush Rap, Swift Triiga e DML. Destaque ainda para o regresso dos catalães ZA!, autores de um dos concertos mais celebradas da edição 2015 do Tremor, que prepararam para este ano um concerto especial em colaboração com a Esmusica.RP (a escola de música de Rabo de Peixe) e com a violinista e performer Sara Fontán.

Além dos já referidos, o festival que nasceu para dinamizar criativa e culturalmente a cidade que o acolhe e, no mesmo gesto, colocar os Açores no mapa do roteiro musical independente nacional e internacional, conta ainda com Zeca Medeiros, Equations, Killimanjaro ou Capitão Fausto. O Tremor decorre entre 15 e 19 de Março em Ponta Delgada, num crescendo que culminará, a 19, na ocupação de vários espaços da zona histórica da cidade (salas de concertos, associações, bares, lojas, igrejas, auditórios) para um dia inteiro de música.

Os bilhetes para o festival custam 20€ até 15 de Março, subindo o preço para 25€ a partir do dia seguinte. A organização tem também disponíveis packs que acumulam a estadia em Ponta Delgada às entradas para o Tremor.