Participação às 16h aumenta face a 2011, mas desce em relação a 2006

Até às 16h, 37,69% dos eleitores tinham ido às urnas, contra 35,16% em 2011 e 45,56% em 2006.

Foto
Até às 16h, tinham votado 3.557.751 eleitores Rui Gaudêncio

A meio da tarde deste domingo, a participação eleitoral nas presidenciais mantém-se acima das últimas eleições. Atè às 16h, 37,69% dos eleitores recenseados em território nacional já se tinham deslocado às urnas para exercer o direito de voto. A participação aumenta quando comparada com 2011. Há cinco anos, a esta hora, 35,16% tinham já votado, mas, em 2006, a taxa de participação a meio da tarde era de 45,56%, bem superior à verificada neste domingo.

Isto significa que já votaram cerca de 3.557.751 eleitores, num universo de 9.439.510 indivíduos registados nos cadernos eleitorais em Portugal (continente e ilhas). Mais uma vez, este número é superior ao de há cinco anos, quando, até às 16h, tinham votado cerca de 3,314 milhões de eleitores, mas inferior ao de 2006, quando tinham votado pouco mais de 4 milhões. 

Estes dados estão em linha com a percentagem registada até ao meio-dia, hora em que a afluência às urnas era estimada em 15,28%.

Foi em 2011 que se registou a maior abstenção em eleições presidenciais desde o 25 de Abril. Na votação que acabou por reconduzir Cavaco Silva a um segundo mandato, 53,48% da população recenseada não foi às urnas.  

Historicamente, cada vez que um presidente tenta a reeleição, a taxa de participação diminui. Foi assim com Mário Soares, Jorge Sampaio e, mais recentemente, com Cavaco Silva. Ramalho Eanes é a excepção à regra.

Note-se que estes dados provisórios são apenas indicativos. Nas últimas eleições legislativas, a participação fixava-se em 44,38% às 16h, um valor superior ao registado nas eleições para a Assembleia da República de 2011 (41,98%) à mesma hora. No entanto, depois do fecho das urnas, concluiu-se que foram as eleições legislativas com maior abstenção em mais de quatro décadas.

Sugerir correcção