Espada do "vice-rei do Norte" foi furtada

A estátua do general Pires Veloso, na Praça da República do Porto, ficou sem a "Espada de Honra". A Câmara do Porto afirmou fazer queixa do furto da espada.

Foto
É o segundo acto de vandalismo naquela estátua desde a sua inauguração, em Setembro do ano passado. Marco Duarte

A “Espada de Honra” da estátua do general Pires Veloso, na Praça da República no Porto, foi furtada e a câmara divulgou nesta segunda-feira que irá participar a ocorrência.

Esta é a segunda vez que a estátua, inaugurada a 14 de Setembro do ano passado, é alvo de vandalismo.

Dias depois da homenagem, o busto do conhecido “vice-rei do Norte” foi pintado de verde, a mesma cor com que foi inscrita a palavra “fascista” no monumento.

Nesta segunda-feira, como constatou a Lusa no local, a espada do general António Pires Veloso, que se encontrava sob o busto, foi retirada.

Contactada pela Lusa, a Câmara do Porto confirmou que a espada “foi roubada e vai ser participado o roubo”.

Pires Veloso nasceu em 1926, em Gouveia, e morreu em 2014, no Porto, aos 88 anos, tendo participado activamente no golpe militar de Novembro de 1975, chefiado por Ramalho Eanes e que pôs fim ao Processo Revolucionário Em Curso (PREC).

A peça serve como comemoração do 40.º aniversário de tomada de posse como comandante militar da região Norte e foi colocada no jardim da Praça da República, tendo estado na inauguração o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e o então ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco.

Em Novembro de 1977, milhares de pessoas concentraram-se no Porto para lhe entregar a “Espada de Honra” que acabou por ser recebida pelo seu filho.

Na praça da República existem também as esculturas “República”, de Bruno Marques, “Baco”, de Teixeira Lopes e “Padre Américo”, de Henrique Moreira

Contactada pela Lusa, a PSP do Porto disse desconhecer a situação.