Reality show, Netflix e filmes lideraram pesquisas no Google em Portugal

Balanço de 2015 revela ainda curiosidade dos portugueses sobre figuras nacionais que morreram, como ser feliz ou o que é o amor ou o Estado Islâmico.

O Google está a fechar o balanço de pesquisas de 2015, incluindo em Portugal. Este ano, as procuras dividiram-se entre reality show, filmes, Netflix, personalidades nacionais que morreram, tecnologia, jogadores de futebol, mas também pela curiosidade sobre o que é o amor ou o Estado Islâmico ou ainda como se pode ser feliz ou popular.

A liderar as tendências de pesquisa do Google esteve "Casa dos Segredos - Desafio Final 3", o reality show emitido pela TVI, seguida do Netflix, serviço de filmes e séries online por assinatura, independente dos operadores de televisão, e de Agario, o popular jogo para PC e smartphone onde o utilizador é uma célula que vai crescendo cada vez que consegue dominar outras células e aumentando o seu território.

Na quarta posição da lista do que foi mais procurado em Portugal surge Charlie Hebdo, nome do semanário satírico alvo de um ataque terrorista que vitimou mortalmente 12 pessoas, em Paris. Os nomes de dois actores portugueses foram também os mais pesquisados, ambos após a notícia da sua morte. Maria Zamora morreu em Fevereiro, aos 40 anos, e Nuno Melo que não sobreviveu a um cancro no fígado aos 55 anos.

Os filmes As 50 Sombras de Grey e Velocidade Furiosa também entraram várias vezes no campo de pesquisa, o primeiro adaptado do romance erótico de E. L. James, e o segundo o número 7 da saga que ficou marcado pela morte do actor e protagonista Paul Walker (1973-2013), na sequência do despiste do Porsche Carrera GT em que seguia conduzido por um amigo. Em Abril, Velocidade Furiosa 7 tornou-se no filme mais visto de 2015 em Portugal, com os espectadores a acorrer às salas para ver a última corrida de Paul Walker.

Houve ainda espaço para a tecnologia nas buscas no Google, principalmente para saber mais sobre o smartphone da Apple iPhone 6S e o sistema operativo da Microsoft Windows 10.

Entre as figuras nacionais mas pesquisas em Portugal, além de Maria Zamora e Nuno Melo, houve ainda curiosidade sobre a actriz Sofia Ribeiro, principalmente depois de recentemente ter sido diagnosticada com cancro na mama, o actual treinador do Sporting, Jorge Jesus, que trocou o clube da Luz pelo de Alvalade, e Joana Amaral Dias, que entrou na corrida às legislativas enquanto cabeça de lista por Lisboa da coligação Agir e suscitou debates sobre a sua decisão de aparecer sem roupa e grávida na capa da revista Cristina. Os restantes lugares na lista das personalidades mais pesquisáveis pertencem a figuras nacionais que desapareceram o último ano – a actriz Delfina Cruz, o realizador Manoel de Oliveira, a antiga primeira-dama Maria Barroso, a chef Filipa Vacondeus e Mariano Gago, o cientista e ex-ministro da Ciência nos governos PS.

No mundo do futebol, Cristiano Ronaldo foi o nome que mais entrou no Google em Portugal, seguido de Messi, Maxi Pereira, Iker Casillas, Pablo Osvaldo, Ricardo Quaresma, William Carvalho, Júlio Cesar, Marco Verratti e David Luiz.

Os portugueses também andaram pelo Google para tentar saber mais sobre o que é o amor, mas também sobre a Uber, a aplicação móvel que esteve este ano no centro de uma polémica protagonizada pela empresa e os taxistas profissionais, o PayPal, sistema de pagamento, e ainda sobre o grupo extremista Estado Islâmico e o LinkedIn, a rede social para contactos profissionais.

O motor de busca foi ainda desafiado a indicar como ser feliz, bonita, popular, rico, social, actriz ou bom aluno, tendo ainda surgido dúvidas sobre o que fazer quando “não se tem nada para fazer”, ou ainda quando “pára a digestão” ou o “telemóvel cai à água”. O Google foi ainda usado para saber como responder no caso de se estar aborrecido, só, com febre ou azia, ou se queima a língua.