Uber lança serviço de partilha semelhante ao transporte por autocarro

UberHOP arranca em Seattle. Utilizador partilha viatura com outros passageiros que têm rota idêntica à que pretende.

Foto
Bruno Lisita

A Uber lançou esta quinta-feira, em Seattle, Estados Unidos, o UberHOP, um serviço onde os utilizadores da aplicação móvel partilham uma viatura e podem escolher o ponto de início e de fim da sua viagem com base num percurso que deverá ser comum entre as pessoas transportadas.

Para já, o serviço de partilha de transporte, com algumas semelhanças ao fornecido por um autocarro público, está apenas disponível na cidade norte-americana e em rotas seleccionadas. Ao escolher a opção UberHOP na app Uber, o utilizador vai ser ligado a um motorista e passageiros que viajam na mesma direcção à que pretende. Ao utilizador são dadas indicações sobre o local onde vai ser apanhado e quando isso irá acontecer, para evitar momentos de espera de ambos os lados. No final da viagem, o utilizador do Uber HOP será deixado numa paragem pré-definida e o mais perto possível do local de trabalho ou de encontro do passageiro.

Num post publicado no seu blog, a Uber afirma que o “investimento em transporte de massas é uma parte importante da solução”, mas sublinha que se trata de um processo “dispendioso”, além de que “nem todos vivem a uma distância de caminhada do metro ou da paragem do autocarro”. A Uber pretende utilizar a infraestrutura existente de “forma mais eficiente” e colocar mais pessoas em menos carros, numa opção de partilha de viatura que pretende contribuir para a diminuição da emissão de dióxido de carbono e do trânsito automóvel no centro das cidades.   

Não ainda previsão de quando o UberHOP será alargado a outras cidades. Em Portugal, continuam em funcionamento os serviços UberX e UberBlack, pedidos através da app que estabelece uma ligação entre o cliente e um motorista privado ou ao serviço de empresas parceiras da Uber.

A presença da Uber no país tem sofrido sobressaltos. No final do mês de Abril deste ano, o Tribunal da Comarca de Lisboa decidiu favoravelmente uma providência cautelar que a Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) apresentou contra a Uber. O tribunal determinou o “encerramento e proibição em Portugal da prestação e adjudicação do serviço de transporte de passageiros em veículos ligeiros, debaixo da denominação Uber, ou qualquer outra, que seja denominada com idênticos fins”.

No seguimento da sentença favorável à ANTRAL, o site da Uber encontra-se bloqueado e o Banco de Portugal informou as entidades bancárias da decisão do tribunal, determinando a “notificação de todos os operadores bancários e entidades pagadoras, por meios electrónicos, registados em Portugal” para que “suspendam todas as operações de registo e de pagamento, mediante cartão de pagamento ou outro meio similar usado habitualmente pela Uber”. 

Oito meses depois, e alguns recursos da Uber apresentados contra as decisões favoráveis à ANTRAL, a situação da empresa em Portugal mantém-se inalterada. O site da empresa foi bloqueado pelas operadoras de telecomunicações mas a aplicação móvel que estabelece a ligação entre o utilizador e o motorista da viatura privada continua operacional, bem como o pagamento do serviço.