Mad Max: Estrada de Fúria é o melhor do ano para a National Board of Review

Vamos ter o blockbuster como Melhor Filme nos Óscares?

Fotogaleria
Mad Max: Fury Road - já na lista dos melhores do ano das revistas Sight and Sound e Cahiers du Cinéma
Fotogaleria
Ridley Scott, por The Martian, foi o melhor realizador – e Matt Damon o melhor actor; o filme foi ainda premiado na categoria de argumento
Fotogaleria
Jennifer Jason Leigh, melhor actriz por The Hateful Eight, de Tarantino - o autor do melhor argumento original
Fotogaleria
Sim, é ele: Rocky Balboa - Stallone foi considerado o melhor actor secundário por Creed
Fotogaleria
Um dia em Auschhwitz: Son of Saul, melhor filme estrangeiro
Fotogaleria
Amy, o documentário de Asif Kapadia sobre Amy Winehouse, foi considerado o melhor na sua categoria

A National Board of Review, organização que foi formada em Nova Iorque em 1909 e que é composta por críticos, professores historiadores, estudantes e profissionais de cinema, escolheu como melhor filme de 2015 Mad Max: Estrada de Fúria. Depois de ter sido considerado o melhor filme do ano pela Associação de Críticos do Rio de Janeiro, de ter ficado em 5º lugar na lista da revista francesa Cahiers du Cinéma e em 3ª na da britânica Sight and Sound, o filme de George Miller já é mais do que um infiltrado no palmarés de 2015. Há quem considere neste momento que cauções como a da National Board of Review podem incentivar a Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood (os Óscares!) a levar a sério a proposta do blockbuster para a categoria de Melhor Filme.

Ridley Scott, por The Martian, foi considerado o melhor realizador – e Matt Damon o melhor actor pelo mesmo filme, premiado ainda na categoria de argumento adaptado. Brie Larson foi considerada a melhor actriz, por Room. Sylvester Stallone (que regressa como Rocky Balboa em Creed, um filme amado neste final de ano nos EUA) e Jennifer Jason Leigh (The Hateful Eight, de Tarantino, autor daquele que foi considerado o melhor argumento original) foram escolhidos nas categorias secundárias. Inside Out é o melhor filme de animação para a National Board of Review. Abraham Attah – por Beasts of No Nation e a Jacob Tremblay, por Room, foram considerados os actores-revelação.

Na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, a National Board of Review escolheu Son of Saul, primeira longa-metragem do húngaro Laszlo Nemes, filme motivado pela leitura deste aluno e ex-assistente de Bela Tarr de relatos manuscritos de membros dos Sonderkommando encontrados enterrados nos campos de concentração de Auschwitz-Birkenau. Amy, o documentário de Asif Kapadia sobre Amy Winehouse, foi considerado o melhor na sua categoria.