Vento e chuva obrigam ao encerramento da Feira das Mercês, em Sintra

A Feira das Mercês, tradicional espaço de animação etnográfica saloia, foi neste sábado encerrada, em consequência do vento e chuva fortes que assolaram durante a manhã o concelho de Sintra, informou fonte do serviço municipal de Protecção Civil.

Foto
PSML/Angelo Hornak

Segundo o comandante da Protecção Civil de Sintra, Pedro Ernesto Nunes, a Feira das Mercês "foi encerrada devido ao mau tempo", durante a manhã, e a sua reabertura "vai depender das condições" determinadas pela organização.

A tradicional "Feira das Mercês - Feira saloia de Sintra", que conta com o apoio das juntas de freguesia de Algueirão-Mem Martins e de Rio de Mouro, devia funcionar entre sexta-feira e domingo e de 23 a 25 de Outubro no habitual recinto da Tapada das Mercês.

A feira assume-se como uma das "mais emblemáticas do concelho, com animação etnográfica saloia, espaços de restauração, bancas de artesanato, área infantil e espectáculos de palco", segundo a autarquia.

O comandante dos bombeiros voluntários de Algueirão-Mem Martins, Joaquim Leonardo, explicou que o recinto da feira "teve de ser encerrado por razões de segurança", devido ao mau tempo, desconhecendo se o espaço terá condições para funcionar ainda durante este fim-de-semana.

"Durante duas horas tivemos de acorrer a cerca de 50 ocorrências, principalmente relacionadas com a queda de árvores e de estruturas amovíveis", adiantou o comandante dos bombeiros, acrescentando que, no entanto, "não se registaram danos pessoais".

Já no centro histórico de Sintra, duas pessoas sofreram ferimentos ligeiros provocados pela queda do ramo de uma árvore junto ao antigo Hotel Central, perto do Palácio Nacional de Sintra.

Um homem e uma mulher passavam junto ao Café Paris, situado ao lado da esplanada do antigo hotel, quando foram atingidos pelos ramos da árvore, sendo assistidos no local por uma unidade do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

O vento forte e a chuva intensa que se registou a meio da manhã na região levou o serviço municipal de Protecção Civil "a encerrar os acessos à serra, por precaução e devido à queda de algumas árvores", acrescentou Pedro Ernesto Nunes.

A sociedade Parques de Sintra-Monte da Lua, que gere os monumentos na serra, informou que os acessos nomeadamente ao Palácio da Pena e Castelo dos Mouros foram encerrados em consequência do mau tempo.

O comandante da Protecção Civil informou, pelas 14h30, que a estrada que liga o Ramalhão e São Pedro de Penaferrim e a rampa da Pena ainda continuavam "cortadas ao trânsito", para a remoção dos restos de arvoredo que caiu nas vias.