Centros de Saúde da região de Lisboa vão ter mais 88 médicos

Novos médicos foram contratados na sequência de um concurso lançado em Maio e vão ser distribuidos pelos centros de saude da região de Lisboa e Vale do Tejo.

Em meados de Fevereiro duas médicas foram condenadas mas trabalhavam em exclusivo em centros de saúde
Foto
Em meados de Fevereiro duas médicas foram condenadas mas trabalhavam em exclusivo em centros de saúde Foto: DR

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) anunciou esta terça-feira a contratação de 88 novos clínicos para os Cuidados de Saúde Primários que irão garantir médico de família a mais 167.200 utentes.

A ARSLVT adianta, em comunicado citado pela Lusa, que estes médicos entram em funções no início de Setembro, tendo a contratação sido efectuada na sequência de um concurso público que foi aberto no passado dia 26 de Maio e que foi agora concluído.

De acordo com a mesma entidade, os 88 médicos serão distribuídos pelos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) de Sintra (13), Almada/Seixal (9), Loures/Odivelas (9), Oeste Sul (8), Lisboa Central (7), Cascais (6), Arco Ribeirinho (5), Estuário do Tejo (5) e Lezíria (5).

Serão ainda colocados quatro médicos no ACES da Arrábida, outros quatro no de Lisboa Norte, mais quatro no ACES de Lisboa Ocidental e Oeiras, três no Agrupamento de Centros de Saúde da Amadora, mais três no do Médio Tejo e outros três no ACES Oeste Norte.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale de Tejo adianta que “a colocação destes profissionais de saúde vai permitir reforçar a assistência a utentes de zonas carenciadas”, assegurando que mais 167.200 utentes que não tinham médico assistente atribuído passem a ter.

“Este reforço de médicos de família é um importante contributo para uma maior capacidade assistencial junto da população”, refere no comunicado o presidente do Conselho Directivo da ARSLVT, Luís Cunha Ribeiro.
Cunha Ribeiro acrescenta que a contratação destes 88 médicos de família “é mais uma concretização, a par de muitas outras, que visa aumentar o número de utentes que dispõem de médico assistente naquela que deve ser efectivamente a porta de entrada no Serviço Nacional de Saúde: os cuidados de saúde primários”.
A ARSLVT tem 3,6 milhões de utentes, distribuídos por 15 Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES).