Opinião

Agradeçam-me menos

É irritante contribuir com dois pequenos euros e receber um mail automático assim.

Pelo menos a Marta Neves das Selecções dos Readers'Digest pseudo-assinava as cartas que eram dirigidas "só para si".

Agora as circulares estão mais automatizadas ainda e nem sequer contribuem um cêntimo para os correios, que empregam pessoas ao vivo que prestam verdadeiros e valiosos serviços.

Vou dar um exemplo. A Wikipedia tem vindo a melhorar e conseguiu ser quase fidedigna. A maior virtude é pôr em causa as entradas sem referências online. O maior defeito de todos continua: quase 100 por cento das referências fidedignas encontram-se em livros e bancos de dados que só são acessíveis a quem tem dinheiro ou boas bibliotecas à mão.

O facto da Wikipedia melhorar e aceitar as muitas críticas que lhe fazem, procurando dar-lhes resposta, mostra que é um empreendimento épico, digno não só da nossa gratidão como do nosso respeito.

Mesmo assim é irritante contribuir com dois pequenos euros e receber um mail automático que começa assim:

"Dear Miguel,

Thank you for your invaluable gift to every human around the world."

A sério? 2 euros são invaluable? A minha moeda chegou mesmo a todos os "humanos" (é assim que se distinguem dos robôs) "pelo mundo fora"? Chegou mesmo a todos? Por apenas 2 euros? Que bom!

O mail continua: "My name is Lila Tretikov and I'm the Executive Director of the Wikipedia Foundation (Good for you). Over the past year gifts like yours powered our efforts to expand the encyclopedia in 287 languages"...

Cala-te! Não fui eu!