Descoberto conto inédito de F. Scott Fitzgerald

Temperature é o título do texto escrito em 1939, o ano anterior à morte do autor de O Grande Gatsby. Vai ser publicado on line pela Strand Magazine.

F. Scott Fitzgerald
Foto
F. Scott Fitzgerald DR

Chama-se Temperature o conto que Francis Scott Fitzgerald (1896-1940) escreveu em Julho de 1939, cerca de ano e meio antes da sua morte, e que foi recentemente descoberto por um editor da The Strand Magazine, revista que anuncia a publicação on line deste texto inédito para o próximo mês de Novembro.

Temperature é um texto de oito mil palavras que narra a história de Emmet Monsen, um escritor de 31 anos a viver em Los Angeles, alcoólico, e que sofre do coração. Se a marca autobiográfica do texto é previsível, ela confirma-se logo com a leitura das primeiras linhas, citadas pela Associated Press (AP): “Quanto a essa artimanha de dizer ‘qualquer semelhança com alguma personagem real é pura coincidência’, não vale a pena eu tentá-la.”

Esta é a história real do próprio Scott Fitzgerald, que, com pouco mais de 40 anos, e já depois de ter publicado O Grande Gatsby (1925) e Terna É a Noite (1934) – títulos que verdadeiramente só seriam valorizados após a morte do escritor –, se encontrava claramente em perda, esquecido pelos editores e pelos estúdios de Hollywood, que recusavam os seus textos e argumentos.

Com o texto de Temperature viria a acontecer o mesmo. À revelia do seu próprio agente literário, Harold Ober, Scott Fitzgerald enviou o conto para a Saturday Evening Post, que o devolveu. Sucedera o mesmo três anos antes, quando a The New Yorker recusou publicar Thanks for the Light (a revista norte-americana haveria de “emendar” a decisão, também muito postumamente, ao decidir publicar este texto em... 2012).

Numa carta de Agosto de 1939 a Harold Ober, Scott Fitzgerald escreve, a justificar a sua iniciativa: “Enviar um conto directamente a um editor pode ser má política, mas não pensamos nisso quando estamos a viver com o dinheiro de um Ford empenhado.”

A recusa da revista Saturday Evening Post veio assim adensar o negrume do quotidiano do escritor, que já tinha também visto caducado o contrato de guionista com a MGM, em Hollywood, lugar que ele tinha descrito como “medonho”. De tal modo que, a 21 de Dezembro de 1940, com apenas 44 anos, Scott Fitzgerald morre em Los Angeles, na sequência de um ataque cardíaco.

Uma cópia de Temperature foi agora descoberta pelo chefe de redacção da Strand Magazine, Andrew F. Gulli, quando consultava documentos do escritor na Biblioteca da Universidade de Princeton, em New Jersey.

Esta revista anunciou entretanto que vai publicar o conto de Scott Fitzgerald dentro de três meses. À AP, Andrew Gulli antecipa assim a importância do texto: “Fitzgerald não pôde deixar de usar as suas habilidades satíricas para enganar a todos, desde os médicos aos ídolos de Hollywood e às normas da sociedade”, escreve o editor. “Quando olhamos [para a sua obra], tendemos a pensar nos romances trágicos que escreveu, como O Grande Gatsby e Terna É a Noite. Mas Temperature mostra que ele é simultaneamente um contista altamente qualificado, capaz de escrever histórias de alta comédia."