Fotogaleria
Pedro Lopes, 18 anos, natural de Viseu, é o criador do EcoBook DR
Fotogaleria
DR

EcoBook, o caderno sem fim

São dez os finalistas da edição 2015 do Prémio Nacional das Indústrias Criativas — e nós quisemos saber mais sobre eles. Pedro Lopes, de 18 anos, criou um caderno que não tem fim e já o conseguiu colocar à venda numa cadeia de lojas

Como definiriam o vosso projecto, um dos dez finalistas do PNIC 2015?

O EcoBook é um caderno reutilizável. O que fizemos foi “pegar” na experiência de escrita dos quadros brancos (que podemos encontras nas escolas e empresas) e transportá-la para algo portátil. Ficámos, assim, com um caderno no qual podemos escrever, apagar e voltar a escrever as vezes que quisermos. Queremos que o EcoBook seja o último caderno que uma pessoa compre na vida.

Em que é que o vosso projecto difere de outros semelhantes?

PÚBLICO -
Foto
O EcoBook pode ser escrito e apagado quantas vezes o utilizador quiser DR

Este é um produto totalmente inovador e patenteado. Oferecemos ao utilizador a possibilidade de errar — algo que os cadernos existentes no mercado não oferecem. Temos um caderno que, mesmo depois de várias utilizações, não apresenta manchas nas folhas e pode durar uma vida.

Quais as características que um vencedor do PNIC deve ter?

Pensamos que um vencedor do PNIC deve, acima de tudo, ser um lutador. Boas ideias todos temos uma ou outra vez na vida, mas encontramos poucas pessoas capazes de as colocar em prática. Além disso, deve saber sofrer. Em parte é isso que define o sucesso ou o insucesso de um empreendedor. Todos os projectos, sem excepções, estão ou vão passar por momentos menos bons e conseguir ultrapassar as adversidades sem desistir é o que diferencia os projectos que vingam, e se tornam grandes empresas, daqueles que ficam pelo caminho.

A concurso estão 25 mil euros. Em que investiriam este valor?

A maioria dos 25 mil euros seria para ajudar na divulgação da marca. O resto seria para ajudar no desenvolvimento de novos produtos e de produtos complementares ao EcoBook, que tornem a experiência de utilização ainda melhor.

Quais são os vossos objectivos para 2015?

Os nossos principais objectivos para 2015 são o crescimento e a internacionalização. Queremos o EcoBook cada vez mais perto do consumidor, contando para isso com os grandes distribuidores. Esse nosso objectivo está um pouco mais perto, uma vez que já podemos encontrar os EcoBook à venda nas lojas Fnac de todo o país (a partir de 6,50 euros, com caneta incluída). Quanto à internacionalização, queremos participar em grandes feiras internacionais do ramo e fazer parcerias com importantes “players” do sector.