Termómetros batem recorde de temperatura máxima em Maio

Beja chegou aos 40 graus Celsius. Noutros pontos do Alentejo, os valores andaram lá perto.

Calor em Maio está a ser excepcional
Foto
Calor em Maio está a ser excepcional Paulo Pimenta

Um novo recorde de temperatura em Maio em Portugal foi batido nesta quarta-feira. Os termómetros em Beja chegaram a 40 graus Celsius às 15h50, uma marca jamais atingida em nenhum ponto do país desde que há registos meteorológicos fiáveis para todo o território continental.

Até agora, o recorde cabia às estações meteorológicas da Régua e de Elvas. Em ambas, há um registo de 39,5ºC — no primeiro caso a 28 de Maio de 2001 e, no segundo, a 31 de Maio de 1999. Em Beja, o maior valor para o mesmo mês é de 2006: 37,2ºC.

A previsão do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) era a de que Beja chegasse aos 41ºC, no ponto alto de uma série de dias muito quentes que começou na segunda-feira. Aquela marca não foi atingida, mas o recorde nacional foi batido na mesma.

Noutros pontos do Alentejo, os termómetros também estiveram em marcas que só se atingem no Verão, mas raramente a meio da Primavera. Na estação meteorológica de Amareleja, igualou-se o recorde anterior de 39,5ºC. Amareleja é um dos pontos mais quentes do país, detendo a maior temperatura de sempre desde a década de 1930: 47,4ºC, no candente Verão de 2003.

Em Castro Verde, foi registada esta quarta-feira uma máxima de 38,6ºC e, em Elvas, 38ºC. Noutros pontos do Alentejo, as máximas estiveram próximas disso. “São de facto valores altos para este período do ano”, afirma o meteorologista Ricardo Tavares, do IPMA.

O calor destes últimos dias resulta da combinação de dois fenómenos atmosféricos distintos. Um deles é um anticiclone — um centro de altas pressões atmosféricas, normalmente associado a bom tempo — estacionado sobre o centro da Europa e que traz ar quente do Leste. O outro é um vale de pressões baixas a sul, que está a canalizar ar quente também do Norte de África. Esta segunda circulação também trouxe para a Península Ibérica uma nuvem de poeiras do deserto do Sara.

As temperaturas máximas terão uma quebra acentuada já nesta quinta-feira, da ordem dos dez graus Celsius. Mas depois voltam a subir. No próximo fim-de-semana o calor regressa em força, com 36ºC em Setúbal no domingo, 35ºC em Beja, 34ºC em Lisboa e Santarém e valores também acima dos 30ºC em boa parte do país.

Sugerir correcção