Fátima atrai milhares de peregrinos para cerimónias do 13 de Maio

A “maior equipa de sempre” de cuidados de saúde aos peregrinos e 400 militares da GNR vão garantir segurança na peregrinação de Maio.

A peregrinação assinala o 96.º aniversário das primeiras aparições de Fátima
Foto
A peregrinação assinala o 96.º aniversário das primeiras aparições de Fátima Enric Vives-Rubio/arquivo

Nos últimos dias têm estado a chegar a Fátima milhares de peregrinos para as cerimónias do 13 de Maio, dia que marca a alegada primeira aparição de Nossa Senhora a três crianças, em 1917. Nestas terça e quarta-feira, o Santuário de Fátima espera milhares de peregrinos.

Este ano, que marca o 98.º aniversário das aparições, as cerimónias serão presididas pelo cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida, e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

"A devoção a Nossa Senhora da Aparecida em Portugal não é muito forte, é uma devoção brasileira, mas o mesmo não se pode dizer em relação à devoção a Nossa Senhora de Fátima no Brasil, que tem um impacto enormíssimo", explica o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, à Lusa.

Até segunda-feira, o serviço de peregrinos do santuário recebeu inscrições de 148 grupos de fiéis oriundos de quase 30 países, sendo os mais representados Portugal, Itália e Brasil. Deste último, marca presença uma delegação de Aparecida com mais de 400 pessoas.

Mas Fátima não é só devoção e apesar do número de peregrinos, os comerciantes mostram-se insatisfeitos com as vendas, garantindo que ficam muito aquém das expectativas. A crise, o calor e a greve da TAP são os factores apontados pelos comerciantes para estarem a vender menos.

Bryan Crispim, comerciante, revela à Lusa que os peregrinos portugueses “lá vão comprando umas coisinhas mais baratas”, enquanto os estrangeiros “já pedem um produto mais refinado”. Os vendedores esperam que em 2017, ano do centenário das aparições e da possibilidade da vinda do Papa a Portugal, o número de vendas possa aumentar. Francisco já se mostrou disponível para ir a Fátima.

Operação Fátima 2015
Nestes dois dias, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) vai ter em Fátima "a maior equipa de sempre" de apoio aos peregrinos, não incluindo a visita do Papa Bento XVI, em 2010.

A Operação Fátima 2015 integra um hospital de campanha e um posto médico avançado. Neste vão funcionar durante todo o dia duas viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER), além de quatro motociclos de emergência médica, informa o INEM.

Também nestes dias, marcarão presença no santuário 400 militares da GNR para garantir a segurança dos peregrinos.

As celebrações têm início às 18h30 desta terça-feira, na Capelinha das Aparições, onde a imagem de Nossa Senhora da Aparecida vai ser entronizada. Às 21h30 rezar-se-á um Rosário, também na Capelinha, seguido da procissão das velas, um dos momentos mais aguardados. Às 22h30 celebra-se a missa, no Altar do Recinto. Às 24h começa a Noite de Vigília. Pelas 7h de quarta-feira realiza-se a procissão eucarística no recinto. As cerimónias religiosas terminam às 10h, com missa, bênção dos doentes e a tradicional procissão do adeus.

A tradição de peregrinar até Fátima surgiu em 1917 quando três crianças afirmaram ver Nossa Senhora, no dia 13 de cada mês, de Maio a Outubro. Nesse último dia, segundo o site do santuário marcaram presença cerca de 70 mil pessoas no local. Embora apenas as crianças tenham visto a Mãe de Jesus, as outras pessoas afirmam ter presenciado o chamado "milagre do sol", ou seja, o astro terá girado sobre si mesmo. Nesse dia, Nossa Senhora pediu para construirem naquele local uma capela em sua honra.