João Peleteiro
Foto
João Peleteiro

Direito é campeão

Os “advogados” derrotaram na final da Divisão de Honra o CDUL e reconquistam o título nacional

O Direito conquistou neste sábado o título nacional de râguebi após bater na final, disputada no CAR do Jamor, o CDUL, por 26-19. Após uma época onde os “universitários” venceram todos os jogos, a formação de Monsanto foi superior no encontro decisivo e recupera o título que tinha perdido para o CDUL na temporada passada.

 

O 10.º título nacional do Direito foi alcançado com uma exibição sólida, que confirma a apetência dos “advogados” para surgirem fortes nos momentos decisivos. A equipa de Monsanto, que se apresentou na máxima força – Gonçalo Uva foi uma das novidades no XV de Martim Aguiar -, foi superior desde o pontapé inicial e rapidamente chegou à vantagem, com um ensaio onde Nuno Sousa Guedes fez o que mais gosta: driblou em velocidade vários adversários e apenas foi travado depois da linha de ensaio, conseguindo fazer o toque de meta.

PÚBLICO -
Foto

 

Longe do nível que mostrou ao longo da temporada, o CDUL apenas conseguia responder através de penalidade de Pedro Cabral, mas o Direito ganhava praticamente todos os duelos e António Ferrador, assistido por Gonçalo Malheiro – o antigo internacional português despediu-se dos relvados aos 37 anos -, fez o segundo ensaio (10-3).

 

Numa tarde para esquecer, o CDUL ficaria sem três jogadores importantes na primeira parte (Nathan Munro, Duarte Gil e Nuno Penha e Costa), mas chegou ao intervalo ainda com esperanças em manter o título (10-9).

 

Pouco depois do recomeço, Malheiro somou mais três pontos para o Direito (13-9), mas numa altura em que a equipa de Monsanto estava reduzida a 14 jogadores – amarelo para João Travassos -, o CDUL marcou o seu único ensaio no jogo, por Carl Murray, passando pela primeira vez para a frente do marcador (19-16).

A vantagem cdulista, todavia, não demorou muito. Sete minutos depois, Pedro Leal exibindo toda a sua inteligência e sagacidade, marcou um grande ensaio (23-19). A partir desse momento, o Direito não mais perdeu o controlo da partida e a quatro minutos do final, Malheiro selou a sua despedida com mais três pontos, fixando o resultado final em 26-19.