Festival Córtex premeia Coisa de Alguém, de Susanne Malorny

Festival volta para o ano de 25 e 28 Fevereiro.

<i>Coisa de Alguém</i>, de Susanne Malorny
Foto
Coisa de Alguém, de Susanne Malorny DR

A 5.ª edição do Córtex – Festival de Curtas-Metragens de Sintra – premiou no domingo como melhor filme da competição nacional Coisa de Alguém, a obra de estreia de Susanne Malorny, e da competição internacional Mur, de Andra Tévy.

"Este prémio vai para um primeiro filme de um realizador que consegue tornar-se invisível no quotidiano real e daí reconstruir um espaço humano sem nunca pôr de lado o humor que o lado trágico de uma perda pode dar", indicou o júri no comunicado divulgado após a cerimónia de encerramento do festival, que decorreu desde 12 de Fevereiro no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

O júri, constituído pelo realizador Manuel Mozos, a actriz Margarida Vila-Nova, o actor Filipe Vargas e a actriz Inês de Medeiros, justificou o prémio atribuído a Mur, de Andra Tévy, descrevendo-o como um filme em que "o olhar prático e a sensibilidade na mise-en-scene e direcção de atores se destacam".

Foram igualmente atribuídas duas menções honrosas aos filmes Fúria, de Diogo Baldais, e à curta de animação Três Semanas em Dezembro, de Laura Gonçalves.

Na secção Mini-Córtex, em que competiam filmes destinados ao público infantil, foi galardoada a curta de animação Foi o Fio, da realizadora Patrícia Figueiredo.

O galardão foi uma decisão do júri desta secção, formado por José Jorge Duarte, pela professora Filipa Gonçalves, de uma escola do ensino básico de Sintra, e por um aluno desse estabelecimento.

Nesta edição do Córtex, o público também teve direito de voto e elegeu Não são favas, são feijocas, um documentário de Tânia Dinis, como vencedor do Prémio do Público.

Os directores do Córtex, José Chaíça e Michel Simeão, anunciaram ainda as datas da próxima edição do certame, que decorrerá entre 25 e 28 Fevereiro de 2016.

Sugerir correcção