Hospitais árabes recrutam enfermeiros por 70 mil euros por ano

Grupo, que fará entrevistas em Março, oferece ainda " 54 dias de férias pagas por ano"

Foto

Um grupo de hospitais árabes, o National Guard, University & Research Hospitals, anunciou esta terça-feira que vem em Março a Portugal recrutar oito dezenas de enfermeiros e outros profissionais de saúde para as suas unidades em Riade, Jeddah e Damman (no Golfo Pérsico), oferecendo salários que rondam os 40 mil a 70 mil euros anuais, a crer no anúncio da empresa responsável pela intermediação.

As entrevistas  (presenciais) irão decorrer em Lisboa em 13 e 14 de Março próximo, e o objectivo é recrutar não só enfermeiros mas também técnicos de análises clínicas e de radiologia, fisioterapeutas, perfusionistas/ cardio-pneumologia, segundo o anúncio que foi tornado público esta terça-feira por André Leite, da empresa FFF Healthcare. Uma empresa que no ano passado foi notícia por ter intermediado a ida de um grupo de médicosportugueses para Arábia Saudita, Kuwait, Jordânia e Emirados Árabes Unidos.

Os hospitais árabes pretendem agora enfermeiros para muitas áreas, desde bloco operatório a cuidados intensivos, a pediatria e neonatologia e obstetrícia, cirurgia-geral, ortopedia, emergência e reabilitação, entre outras, segundo o anúncio.

A empresa adianta que dispõe ainda de “vagas seniores “ para directores de enfermagem, chefes de serviço e coordenadores de equipa.  No caso dos directores de enfermagem, “os salários líquidos anuais isentos de impostos podem ascender aos 95 mil euros por ano”, diz. Nos outros casos, variam entre "43 mil e 70 mil euros".

As horas extraordinárias, acrescenta, serão pagas à parte (“200 euros por turno até mil euros/mês”) e os hospitais oferecem" 54 dias de férias pagas por ano com oferta de duas viagens de avião por ano (ida e volta)". Os contratos são “anuais e renováveis automaticamente”.

Os interessados devem enviar o curriculum vitae em inglês e só depois serão seleccionados para entrevistas com elementos da direcção de recursos humanos deste grupo privado de hospitais.

Esta empresa já tinha vindo a Portugal contratar enfermeiros e já tem vários profissionais de saúde portugueses a trabalhar nesta parte do mundo desde há algum  tempo. No final do ano passado, foi notícia porque em questão estava o recrutamento, para hospitais da Arábia Saudita, de médicos, a quem ofereciam salários de até 11 mil euros por mês e alojamento para a família. O anúncio foi então publicado no site da Ordem dos Médicos. 

O grupo de hospitais do Ministério da Saúde da Arábia Saudita e do Al–Mouwasat Medical Services Co (com unidades na Arábia Saudita, Kuwait, Jordânia e Emirados Árabes Unidos) procurava profissionais com pelo menos três anos de experiência em 15 especialidades diferentes.

O PÚBLICO tentou obter mais esclarecimentos junto de André Leite, sem sucesso.