Se o céu não lhe cair na cabeça, há novo Astérix em Outubro

Será na Gália e os fãs podem candidatar-se a ser uma personagem.

Fotogaleria
Yves Herman/REUTERS
Fotogaleria
Jean-Yves Ferri em Lisboa Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Didier Conrad, o novo ilustrador de "Astérix" JOEL SAGET/AFP
Fotogaleria
A capa do último livro editado DR
Fotogaleria
Albert Uderzo em Paris em 2007 STEPHANE DE SAKUTIN/AFP

O último álbum de Astérix esteve oito anos na forja, mas o sucessor de Astérix entre os Pictos vai sair exactamente dois anos depois: a data está marcada e o local também. Dia 22 de Outubro de 2015, na Gália, os irredutíveis gauleses vão continuar a resistir ao invasor, como anunciaram os novos tutores das personagens de Goscinny e Uderzo, Jean-Yves Ferri (argumento) e Didier Conrad (ilustração).

A 36.ª aventura de Astérix e Obélix, criados em 1959 pela mais conhecida dupla de BD francesa, está quase pronta. Foi uma revelação surpresa no Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême, que decorre até este domingo, 1 de Fevereiro, em França, país onde se passará a totalidade da acção do próximo livro sobre a aldeia gaulesa que resiste, ainda e sempre, aos invasores com a ajuda de uma poção do druida Panoramix –, e que apaixona várias gerações. Isto porque Ferri e Conrad garantiram que iriam respeitar os cânones das personagens e um dos elementos dessa tradição é exactamente a alternância entre um álbum passado na Gália e outro noutras paragens.

A passagem do testemunho para os novos autores foi feita por Albert Uderzo em 2013. Aos 86 anos – René Goscinny morreu em 1977 –, acompanhou ainda a feitura de Astérix entre os Pictos. A capa é co-assinada com Conrad, porque Uderzo desenhou o Obélix que nela consta. “Graças a eles, a aldeia gaulesa criada por mim e pelo meu amigo René pode continuar a viver novas aventuras, para deleite dos seus leitores.”

E os leitores poderão tornar-se personagens do novo álbum, que, apesar de estar em fase de produção, será alvo de um concurso na Internet para que os fãs possam sugerir personagens. Ou sugerir-se como personagem. Jean-Yves Ferri explicou à RTL: “Um casting vai permitir a todos propor a sua candidatura ao posto de personagem em Astérix. As pessoas poderão fotografar-se como gauleses e enviar o seu retrato” à editora. A elas juntar-se-ão novas personagens no universo dos gauleses, romanos e outros povos com os quais se cruzam os heróis revoltosos do imaginário francês.

Astérix entre os Pictos esteve nas bancas apenas três meses em 2013 e tornou-se o livro mais vendido em França nesse ano, tendo sido traduzido em 25 línguas – entre as quais a edição portuguesa da ASA/LeYa, que voltará a lançar em Portugal o 36.º álbum em Outubro deste ano. Até agora, e segundo escreve o diário francês Le Figaro, foram vendidos 2.460 milhões de exemplares só em língua francesa.