Dois realizadores brasileiros vieram em busca do cavaquinho

Dewis Caldas e Aline Camargo, da Maranha Filmes, estão a seguir os passos do cavaquinho em oficinais e em museus, junto a músicos e construtores, para criar uma Trilogia Cavaquinhos.

Foto
Os realizadores Dewis Caldas e Aline Camargo e o grande construtor Domingos Martins Machado

Vieram do Mato Grosso, de Cuiabá, e andam a percorrer Portugal para contar a história de um instrumento. Dewis Caldas e Aline Camargo, da Maranha Filmes, estão a seguir os passos do cavaquinho em oficinais e em museus, junto a músicos e construtores, para criar uma trilogia. Trilogia Cavaquinhos, para irmos directos ao assunto. Ou seja, três documentários de 52 minutos, resultado do trabalho que a dupla de realizadores realizará este ano em Portugal.

Em filmes anteriores debruçaram-se, por exemplo, sobre a obra do grande músico do Nordeste brasileiro (Óia Eu Aqui de Novo – Na Terra de Luiz Gonzaga no Ano do Centenário). A escolha agora feita, a de investigar a história do popular cordofone nascido em Portugal deve-se, primeiro, à posição de destaque na música brasileira que ganhou desde que atravessou o Atlântico, marcando presença desde o ancestral lundum até aos modernos choro e samba. “Assim, esta série é também uma forma de aproximar as duas nações em seu aspecto musical e cultural”, escrevem os realizadores na apresentação do projecto. Juntou-se a essa ponte estabelecida a consciência por parte dos realizadores de que se vive um “momento interessante” de valorização e documentação do cavaquinho em Portuga.

Até ao momento, Dewis Caldas e Aline Camargo já visitaram seis cidades, entre as quais Braga, considerada aquela onde nasceu o cavaquinho, Viana do Castelo, Porto ou Lisboa, tendo entrevistado o grande construtor Domingos Martins Machado ou o instrumentista Júlio Pereira.

A trilogia será formada por um filme dedicado aos primórdios do cavaquinho (O Minho, o estilo Lisboa e a revolução de Coimbra), outro centrado no instrumento em si mesmo (A técnica, afinações e mutações do instrumento cavaquinho) e um último sobre a sua presença no panorama musical português actual.