Colaboradores de Shia LaBeouf confirmam violação do actor

O artista britânico Luke Turner e o artista finlandês Nastja Säde Rönkkö escreveram no Twitter que intervieram e pararam o incidente na performance #IAMSORRY.

Shia LaBeouf na passadeira vermelha do Festival de Berlim
Foto
Shia LaBeouf na passadeira vermelha do Festival de Berlim Reuters

Os dois artistas que colaboraram com Shia LaBeouf na performance artística intitulada #I AM SORRY, em que o actor norte-americano ficava sentado numa sala, com um saco de papel enfiado na cabeça, no qual se lia “Já não sou famoso”, confirmaram o episódio da violação. Sentado e calado, o actor desafiava os visitantes a interagirem consigo. Numa das situações, Shia, segundo contou, terá sido violado.

No Twitter, o artista britânico Luke Turner e o artista finlandês Nastja Säde Rönkkö escreveram que assim que se aperceberam do que estava a passar na galeria de arte em Los Angeles intervieram de forma “a pôr um stop” na situação.

Foi na semana passada que Shia LaBeouf, que ganhou notoriedade na saga de ficção científica Transformers, contou à revista Dazed ter sido violado em Fevereiro passado durante a performance #I AM SORRY. Na sala onde estava sentado entrava um visitante de cada vez; os visitantes interagiam com ele da forma que entendessem.

No Dia dos Namorados, contou LaBeouf, uma mulher, cujo namorado terá ficado à espera fora da sala, chicoteou-lhe as pernas durante alguns minutos (os visitantes dispunham de objectos colocados em cima duma mesa, incluindo um chicote, uma garrafa de bourbon e um alicate). Depois despiu-o e violou-o, saindo "com o cabelo desgrenhado e o baton esborratado".

Luke Turner e Nastja Säde Rönkkö vêm agora ao Twitter dar aquilo que consideram ser “clarificações importantes”. Publicaram exactamente as mesmas declarações; começam por esclarecer que em momento algum se autorizava os visitantes a fazerem o que quisessem a Shia LaBeouf.

“Assim que nos apercebemos que o incidente começou a acontecer, pusemos-lhe um fim e assegurámo-nos que a mulher tinha ido embora”, escrevem ambos nas suas contas. Questionado sobre se foi feita queixa à polícia, Luke Turner não respondeu, garantindo apenas que continua a ser colaborador do actor.

Quem aproveitou a ocasião para falar foi Piers Morgan que perguntou ao britânico porque é que a alegada violadora foi deixada “simplesmente ir embora”. Luke Turner respondeu que não tinha ficado claro naquele momento o que é que tinha acontecido. “A primeira prioridade foi garantir a segurança de todos na galeria”, justificou. E disse que a mulher fugiu imediatamente.