Torne-se perito

Receitas dos hotéis deverão crescer 5% ao ano na região de Lisboa

Estudo encomentado pela Entidade Regional de Turismo propõe reforço da aposta em sectores como os cruzeiros e o golfe.

Obras são da responsabilidade da Associação de Turismo de Lisboa
Foto
Turismo deverá continuar a desenvolver-se na região de Lisboa DÁRIO CRUZ

O plano estratégico para o desenvolvimento turístico na Região de Lisboa, definido para o período 2015-2019, prevê um aumento anual de 5% nas receitas da hotelaria e ganhos de 800 milhões de euros em 2019.

Em comunicado divulgado esta quinta-feira, a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa (ERT-RL) refere que o plano estratégico para os próximos quatro anos foi aprovado por unanimidade na reunião da comissão executiva daquele organismo.

“A estratégia aprovada, com implementação a partir de Janeiro de 2015, prevê aumentar o contributo do turismo para a Região, atingindo um crescimento global de receitas da hotelaria de cinco por cento ao ano e proveitos de 800 milhões de euros em 2019, além de melhorar a qualidade de serviço e a satisfação dos visitantes e incrementar a notoriedade de Lisboa nos mercados emissores prioritários”, afirma a ERT-RL.

O plano, desenvolvido pela consultora Roland Berger, assenta na complementaridade das valências e activos existentes nos 18 municípios que integram a ERT-RL, o que, segundo esta entidade, “vai permitir aumentar a notoriedade e melhorar a performance do destino, graças a uma maior diversidade”.

O documento propõe reforçar os produtos prioritários, como os cruzeiros e o golfe, e desenvolver outras ofertas como o turismo náutico, residencial, de saúde, enoturismo ou equestre, de acordo com as várias centralidades turísticas existentes “em Lisboa, Cascais e Sintra, bem como Arrábida e Arco do Tejo, que serão desenvolvidas”.

Segundo a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, uma das novidades deste plano consiste na "recomendação da criação de um programa específico para a atração e captação de investimento privado para o sector na Região, com incidência nas áreas actualmente menos desenvolvidas”. No que diz respeito à promoção internacional, a ERT-RL frisa que a relação com os mercados espanhol, alemão e brasileiro “será aprofundada através de uma abordagem regional”.

O comunicado da ERT-RL refere que o foco global mantém-se nos mercados prioritários - Reino Unido, França, Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), Itália e Angola -, “estando ainda previstas abordagens específicas de teste a mercados de elevado potencial, como a China”.