Galiza e Norte de Portugal criam Gabinete de Informações da Eurorregião

O caso foi detectado no rio Minho
Foto
O rio Minho é um dos recursos partilhados por Portugal e pela Galiza Adriano Miranda

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza e Norte de Portugal (GNP-AECT) e 35 instituições dos dois lados da fronteira criaram esta sexta-feira, em Vigo, o Gabinete de Informação da Eurorregião (GIE) que permite o acesso "a conteúdos, contactos e conhecimento mútuo".

Trata-se de uma plataforma informática que reúne "toda a informação disponível sobre a eurorregião e que permite a colaboração entre distintos agentes do território e o GNP-AECT".

Projectos, eventos, teses, notícias, publicações e serviços são alguns dos exemplos da informação disponibilizada pela nova ferramenta que vai abranger uma área estimada em 50.000 quilómetros quadrados . O GIE envolve cerca de 35 entidades associadas, desde autarquias, universidades, politécnicos, associações empresariais e estruturas sindicais de ambos os países.

Na assinatura do protocolo, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) Emídio Gomes, responsável pela Comunidade de Trabalho Galícia - Norte de Portugal, afirmou que o GIE "é um repositório de intercâmbio de informação e de conhecimento que vai identificar sócios e actividades conjuntas que possam participar em projectos europeus".

"É um sinal de avanço, sobretudo na eficiência, porque evita a duplicidade dos gastos em muitas áreas de actividade. É uma plataforma que vai consolidar claramente uma verdadeira eurorregião", frisou. A plataforma arrancou com a adesão de 35 entidades, mas Emídio Gomes adiantou que "qualquer outra entidade que queira assinar este protocolo pode fazê-lo nos próximos tempos".

Do lado espanhol, Jesús Gamallo Aller, director-geral de Relações Exteriores e com União Europeia (EU) da Xunta da Galiza considerou que esta plataforma vai "criar vínculos de união, que fortalecem o tecido empresarial, o conhecimento e a inovação dos dois lados da fronteira, beneficiando uma população directa de 6,5 milhões de pessoas".

Para o responsável galego esta plataforma, que resulta da articulação entre o Governo da Galiza e o Norte de Portugal, "tem como principal destinatário o sector empresarial, nomeadamente nas áreas da metalomecânica, têxtil, automóvel, saúde, turismo e agricultura.

A balança comercial da eurorregião registou entre 2009 e 2011 um incremento de 253% na Galiza e de 153% no Norte de Portugal, o que atesta o dinamismo que carateriza o meio milhão de pequenas e médias empresas que laboram nos dois lados da fronteira.

A cooperação transfronteiriça, a criação de uma aplicação informática que permita o uso partilhado de informação a diferentes níveis, a projecção e aumento de notoriedade da eurorregião Galiza e Norte de Portugal, e a promoção e difusão dos seus recursos endógenos e potencialidades são os principais objetivos do GIE.

O GNP-AECT, criado em 2010, espera ainda que a criação desta plataforma venha a "facilitar o desenvolvimento e progresso da eurorregião, a aproximação de instituições, bem como a partilha de experiências e problemas comuns a fim de alcançar uma solução em conjunto".

Sugerir correcção