Permanecem dúvidas sobre a origem do fenómeno #AlexFromTarget DR
Foto
Permanecem dúvidas sobre a origem do fenómeno #AlexFromTarget DR

#AlexFromTarget foi um produto de marketing?

Startup alega que fenómeno Alex Lee foi criado no âmbito de uma experiência

Em poucos dias, Alex Lee deixou de ser o rapaz que fazia umas horas num supermercado para passar a ser #AlexFromTarget, a "hashtag" que lidera no Twitter e que colocou o nome do adolescente em perto de um milhão de "tweets" só na última terça-feira. O fenómeno que começou com um simples "tweet" disparou de tal forma que o rapaz já foi fotografado ao lado da comediante/apresentadora Ellen DeGeneres e consta que já terá mais convites do género. Agora, uma startup até aqui desconhecida veio reclamar a autoria do “fenómeno #AlexFromTarget”. Foi tudo uma operação de marketing. Foi mesmo?

Alex Lee foi fotografado junto a uma caixa registadora da cadeia de supermercados Target, a segunda maior dos EUA. O jovem aparece com a farda da loja e a ensacar as compras de um cliente, mas o que se seguiu é digno de um estudo sociológico. Alguém que se apresenta no mundo Twitter como @auscalum — e que agora se veio a saber que é uma rapariga inglesa a viver em Londres — publicou no domingo um "tweet" com a imagem do rapaz com a "hashtag" #AlexFromTarget. A partir daí a fotografia tornou-se epidémica.

Na última segunda-feira, Dil-Domine Jacobe Leonares publicava na sua conta no Linkedin, onde se apresenta como presidente-executivo da Breakr, uma mensagem a afirmar que tudo não passou de uma experiência de marketing da autoria da empresa. E o que faz a Breakr? Segundo Leonares, liga fãs ao seu “fandom”, ou seja liga pessoas a grupos de fãs que partilham os mesmos gostos.

O site de notícias de tecnologia CNET conseguiu entrar em contacto com Leonares, que explicou que acima de tudo a Breakr ajuda os criadores de pequenos conteúdos a promoverem-nos. Quanto a #AlexFromTarget, o CEO disse ao CNET que nunca pensou que “fosse tão longe”. Segundo Leonares, a experiência “provou que, com uma forte base de fãs e reunindo fãs raparigas, é possível”.

No seu perfil no Linkedin, Leonares afirmou que tudo não passou de uma experiência. “Ontem [domingo], divertimo-nos no Twitter com a 'hashtag' #AlexFromTarget, que acabou por ser uma das mais incríveis experiências de media sociais de sempre”. O objectivo segundo o responsável da Breakr foi demonstrar o quão poderoso pode ser o papel de um grupo de fãs do sexo feminino ao transformar um “desconhecido, bem-parecido e funcionário da Target no Texas numa sensação viral na Internet, de um dia para o outro”.

O primeiro tweet

Leonardes afirma que a fotografia de Alex foi tirada com a sua permissão por uma fã inscrita na base de dados "fangirl" da Breakr. Mas foi Abbie, a rapariga que se identifica no Twitter como @auscalum, que lançou o primeiro "tweet" com a imagem de Alex, a partir de Londres. “Depois de espalhar a palavra entre as nossas seguidoras 'fangirl' para seguirem #AlexFromTarget, começámos a juntar combustível ao fogo ao 'twittar' sobre isso aos nossos maiores influenciadores no YouTube”.

O que seguiu foi uma análise dos utilizadores do Twitter que gostaram de Alex e os que consideraram absurdo tornar famoso um simples rapaz que não fez nada de especial. “Na realidade, quando se olha para toda a situação a partir de uma visão macro podem ver que se podemos construir uma base individual de fãs na Breakr, podemos traduzir esses poderosos seguidores numa carreira maior”.

Para reforçar a autoria do fenómeno Alex, Leonardes conta que um jovem, que identifica como Stephen, reforçou o ruído em torno do adolescente do Texas com a publicação de um vídeo no YouTube a parodiar a situação. “Ao controlar os dois lados da conversa, temos mais e mais pessoas a falar sobre a situação o que manteve a 'hashtag' no primeiro lugar no Twitter em todo o mundo”, sublinha o CEO da Breakr.

O CNET questionou Leonardes sobre o que ganha com estas experiências. O responsável respondeu que ganha com os utilizadores da startup, ao cobrar-lhes uma percentagem quando são contratados por uma determinada marca para passar a palavra sobre um produto. "A nossa teoria é que se se conseguir construir uma base de fãs influenciadora, pode transformar-se o que seguem em receitas de negócios da marca", explicou, admitindo que está a tentar conseguir um contrato com a Target, a cadeia de supermercados onde trabalha Alex.

Versão da Breakr é desmentida

Depois de conhecida a mensagem e as declarações de Leonardes, algumas das pessoas citadas nas suas explicações negaram ter qualquer relação com a Breakr. Foi o caso de Abbie ou @auscalum que desmentiu trabalhar com a empresa, da qual nunca ouviu falar, e que a foto de Alex que divulgou no Twitter tinha sido encontrada no Tumblr. Num pedido de reacção do CNET, Leonardes alega que Abbie conhece a empresa mas nunca foi contratada pela Breakr.

Também Stephen Edward, o autor do vídeo onde faz uma paródia ao fenómeno Alex, nega qualquer envolvimento na alegada experiência da empresa. "Conheço o CEO da Breakr e falei com ele antes, mas de nenhuma maneira me contactou e me pediu para fazer parte da sua rede", assegura o jovem, desta vez, ao BuzzFeed, que após a entrevista do CNET falou também com Leonardes.

Nas declarações ao Breakr, Leonardes faz algumas alterações à sua história. Segundo este, a sua empresa teve uma pequena participação na experiência que assumiu proporções mundiais, mas mantém que foi a Breakr que promoveu a "hashtag" #AlexFromTarget .

Para já, a história do rapaz do Texas que se tornou famoso da noite para o dia permanece com muitas questões por responder. Mas isso não parece afectar Alex Lee. O jovem continua a beneficiar da fama e num "tweet" publicado na sua conta limita-se a afirmar que nem ele, nem a sua família ouviram falar alguma vez na Breakr.