“Fui premiado com um 1.º prémio do Euromilhões. O que devo fazer?”

Os milionários podem recorrer ao Grupo de Apoio ao Alto Premiado, da Santa Casa. São aconselhados a manter a discrição — algo que Adrian e Gillian Bayford, que eram até agora os maiores vencedores, não fizeram.

Foto
O prémio fica disponível entre o 13.º e o 90.º dia após a data do sorteio. Rui Gaudêncio

O loto europeu nasceu a 13 de Fevereiro de 2004 em Espanha, França e Reino Unido. Portugal, Irlanda, Bélgica, Áustria, Suíça e Luxemburgo juntaram-se ao grupo em Outubro desse ano. E hoje Portugal é um dos três países com mais jackpots registados: 53. Já a contar com o desta sexta-feira. O prémio de 190 milhões de euros representa 0,1% do Produto Interno Bruto português.

No seu site, o departamento de jogos da Santa Casa responde a várias dúvidas sobre o loto. “Fui premiado com um 1.º prémio do Euromilhões. O que devo fazer?” é uma delas.

Preencher o formulário que surge automaticamente na área “Receber os Meus Prémios” do portal Jogos Santa Casa é o primeiro passo, de acordo com a informação disponibilizada. Depois, o euromilionário deve ir ao departamento de jogos para fazer a sua identificação. O prémio ficará disponível entre o 13.º e o 90.º dia após a data do sorteio. O pagamento é feito através de transferência bancária.

Enquanto não têm o dinheiro na conta, os milionários podem recorrer ao Grupo de Apoio ao Alto Premiado, da Santa Casa, para receber apoio psicológico e de outro tipo. Este gabinete sabe, logo no dia do sorteio, quais os locais onde foram registadas as apostas que correspondem a prémios superiores a um milhão de euros. E contacta os mediadores que registaram os valiosos boletins. Se o “alto premiado” aparece, é aconselhado a telefonar para a linha verde dos Jogos da Santa Casa.

O gabinete de apoio pode, por exemplo, contactar bancos que sabe que se disponibilizam a abrir as portas a um sábado ou domingo para receber num dos seus cofres o recibo com a chave premiada — a segurança do recibo é um aspecto central. Outro dos conselhos que certamente o novo milionário ouvirá é que seja discreto.

As estatísticas do Euromilhões foram actualizadas nesta madrugada — e não faltam sites na Europa a dedicar-se ao jogo que diz que cria excêntricos todas as semanas. Segundo o Euro-Millions.com, a lista das datas que marcam os maiores cinco prémios atribuídos é esta: 10 de Agosto de 2012 (190 milhões de euros); 24 de Outubro de 2014 (o mesmo valor); 25 de Junho de 2013 (quase 188 milhões de euros); 12 de Julho de 2011 (185 milhões) e 13 de Novembro de 2012 (perto de 170 milhões).

França (71), Espanha (65) e Portugal (53) têm o maior número de premiados (290 no total) com jackpot. Em Portugal, o Euromilhões já atribuiu 4.288 milhões de euros em prémios, segundo o departamento de jogos da Santa Casa, citado pela Lusa. O sorteio de sexta-feira gerou uma receita bruta de 18,4 milhões de euros. Registaram-se 9,2 milhões de apostas.

Os cinco números que mais vezes saíram, em mais de dez anos de loto, foram o 50, o 4, o 38, o 19 e o 44.

Em Agosto de 2012, Adrian, então com 41 anos, e Gillian Bayford, 40, dois filhos, deram uma conferência de imprensa depois de se tornarem milionários. Até ali tinham sido pessoas que viviam confortavelmente, que sempre tinham trabalhado e “juntavam dinheiro para as férias”, como explicaram perante 50 jornalistas. O dinheiro do prémio “tinha chegado numa boa altura” e ia “beneficiar a família toda”, garantiram, citados pela BBC online.

Mais tarde acabariam por se queixar do “stress” causado por se terem tornado milionários de um dia para o outro. No final do ano passado anunciaram que se iam separar. “Ficamos amigos”, fizeram saber.