Rosino/Flickr
Foto
Rosino/Flickr

Prémio Douro Empreendedor com 101 candidaturas de criativos

Mais de 30 vídeos e quase 70 cartazes entre os candidatos à nova categoria criativa. Prémio quer distinguir e impulsionar a criação de projectos na região do Douro

O Prémio Douro Empreendedor, que este ano também vai distinguir vídeos e cartazes que promovam a região, recebeu 101 candidaturas, designadamente 32 vídeos e 69 cartazes, para esta nova categoria criativa. 

Ao todo, foram enviadas 165 candidaturas às quatro categorias. A segunda edição do prémio, que foi lançado pela Rede EmpreenDouro, será entregue no dia 28 de Novembro. Segundo a organização, o vencedor de cada uma das categorias receberá um prémio monetário de quatro mil euros.

Ao nível das candidaturas empresariais, participaram 64 empresas da região, 32 na categoria de novas empresas, 22 na categoria de empresas com mais de dois anos e 10 na categoria de turismo internacional. Estas empresas correspondem a 35 milhões de euros de investimento e são geradoras de 19 milhões de euros de volume de negócios nas mais diversas áreas de actividade, como turismo, restauração, serviços e serviços de saúde e tecnologias de ponta.

O prazo para entrega das candidaturas terminou na sexta-feira, superando, de acordo com a organização, "todas as expectativas". O Prémio Douro Empreendedor é uma iniciativa coordenada pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), cofinanciada pelo "ON.2 - O Novo Norte" (Programa Operacional Regional do Norte) através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e conta com o patrocínio da EDP.

O reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, António Fontaínhas Fernandes, destacou "o papel fundamental das empresas participantes no prémio, ao contribuírem para "divulgação do que o Douro faz". "Precisamos de nos mostrar, de nos valorizar e de contribuirmos todos para a afirmação do Douro e de Trás-os-Montes enquanto território atractivo e comprometido com o desenvolvimento integrado e sustentável", acrescentou.

Por sua vez, Emídio Gomes, presidente da CCDR-N, salientou a importância de "incentivar e premiar o que de melhor se faz na região". "O trabalho da rede tem um interesse superior, por apostar no empreendedorismo e autoemprego e na valorização dos activos e recursos durienses, aproveitando as ideias de negócio que surgem, seja nas instituições de Ensino Superior da região e nas parcerias com empresas e instituições já existentes", sublinhou.